terça-feira, dezembro 30, 2003

Momentos obscuros de minha vida...

JP é ninja e fez um plog pa nóis.
Meu picture log.

Abba is gold!

The winner takes it all

The winner takes it all
the loser standing small
beside the victory
that’s her destiny...

segunda-feira, dezembro 29, 2003

Sucumbi à modernidade. Peidarei sonoramente um greensleaves em polifonia harmônica fatal!

Gentem, agora sou moderna, possuo celular de toques polifônicos histéricofônico!!!
Maravilha da tecnologia, gentem! Quase chorei ao comprar o bichinho... meu finado LG morreu de vez, com sua bateria arriada e, pra não pagar 100 paus numa bateria nova e continuar com aquela vida monocromática que levava, comprei esta gracinha COLORIDÉRRIMA e com joguinhos e discagem por voz e envio de SMS e tudo o mais.
Ele lava, passa, cozinha, limpa, busca as crianças na escola e até faz ligações!

Chuinf! =õ)

Agora estou babando com os novos botõezinhos... hihihi! Botão botão! Botãoooo!
Pra quem tem o número, ele permanece o mesmo.
Agora tenho 500 torpeidinhos pra enviar em um mês pra outros celulares vivos não finados. O problema é que ninguém mais em sã consciência quer ter celulares Vivo...
Só um ou outro gato pingado. Flordeu.

domingo, dezembro 28, 2003

Estou sem o que dizer nesses últimos dias. Parece que ando emburrecendo. Ando lendo menos que o normal e vendo tv, além de conviver com novas pessoas com certas limitações com as quais tenho que conviver. Meu pai continua me proporcionando bons momentos de fúria diárias e novos cabelos brancos pra coleção.

Ainda estou sem fazer as unhas e depilação e não pretendo permanecer assim por muito tempo.
Ganhei um quilo de bosta no Natal e agora preciso voltar pros braços de Lady Neide antes que seja tarde.
Ontem fui assistir O senhor dos anéis - o retorno do gay lá na Paulista naquele cine Bristol da Playarte, enchemos o cu de pipoca e coca-cola e ganhamos copos de vidro bonitinhos. Na saída do cinema tinha uma fila enorrrrme na porta do banheiro feminino. Cinema é uma coisa diurética, não?
Comprei ímãs de geladeira na livraria cultura.

Eu adoro Elton John.
Se eu fosse homem, seria uma bicha deslumbrada, sem dúvida.
Talvez não. Deve ser legal ter pinto.
De qualquer modo, adoro o piano de oncinha da capa do cd, as cerejas e bananas nas paredes.
Uma coisa básica...

Olha aí, já acabou meu assunto novamente.
Eu sabia que essa história de começar a acordar cedo ia mudar minha vida. Agora eu me tornei um ser mais apático que o habitual. Visito os blogs amigos e nem tenho vontade de dizer nada, onde está minha verborragia idiota?
Provavelmente foi parar no mesmo lugar que meu guarda-chuva perdido.

Acho que vou voltar a jogar pokémon no game boy...
Depois eu volto.
Preciso responder e-mails e não tenho a menor vontade. A preguiça impera.

sábado, dezembro 27, 2003

ODEIO profundamente.

Merda, merda, merda.
Meu pai é uma merda.
Tudo o que ele faz é merda.
Merda, merda, merda.

sexta-feira, dezembro 26, 2003

quinta-feira, dezembro 25, 2003

Run, Fabiana, run!!!

Após essa comilança desenfreada de coisas açucaradas e altamente calóricas na casa do JP, precisarei me internar num SPA. Academias, está na hora de apresentarem ofertas interessantes. Enviem-me propostas.

quarta-feira, dezembro 24, 2003

Hoje eu atendi os "criente" pela primeira vez lá no call center.
Atendi um ser de Alagoas, um ser de SP e um outro sei lá de onde. Felizmente todos foram legais e educados, mesmo fazendo eles esperarem na linha porque eu sou novata e não sei porra nenhuma sobre procedimentos obscuros dos aparelhos. Mas logo vou pegar a prática e serei ninja com meu sabre de luz enrustido.

Estou morrendo de sono.
E sinto movimentos peristálticos atrevidos anunciando uma possibilidade de trevas esta noite.

Tô na casa do JP. Daqui a pouco presenciarei algum ritual prosaico de caráter natalino e darei o presente do meu amigo secreto. Fico meio deprimida no final do ano. Já disse que odeio o Natal?
Acho que vou tirar um cochilo. Nem vou tomar outro banho hoje, quero nem saber.

terça-feira, dezembro 23, 2003

Fuck the Christmas!

Tá, agora eu tenho uma vida de assalariada, pertenço à massa proletária e tenho que dormir cedo pra estar amanhã novamente em meu emprego.

Apesar de eu não comemorar o Natal, porque não vejo nada de comemorativo, agradeço os votos de boas festas e desejo a todos o mesmo, com ou sem perus e outros pássaros exóticos cheios de farofa.

Hoje terminou meu treinamento de aparelhos Nokia e ontem eu usei o último suspiro dos créditos do 3650, que é bárbaro. A qualidade das fotos tiradas pelo aparelho são de impressionar (afinal, é um celular em primeiro lugar).
Tive a sorte de conseguir enviar uma foto tirada ontem de manhã pro meu e-mail via GPRS, tá lá no flog uma versão reduzida da original.


Ontem e hoje vi meu fofucho e eu ando me entupindo de comidas que não deveriam fazer parte de minha vida saudável de amante dos alfaces. Terei que representar o político que faz promessas na hora da campanha eleitoral, e dizer a vós que em 2004 caberei nas roupas da Renner, da Marisa e da C&A, que são feitas para o brasileiro sem partes turbinadas.

Eu estou com sono a esta hora, parece conto da carochinha. Meus olhos começam a arder.
Eu não sei o que vestir amanhã, minhas roupas vestíveis não estão lavadas ou não estão passadas.
E a máquina de lavar quebrou, claro!

Mas nem tudo é pickles na vida.
Eu gostaria de não precisar ir trabalhar amanhã, e só estou começando minha rotina de assalariada infeliz. Aff!
Acordar cedo é tão... tão... horrível!
E ter que passar novamente pela rotina de banho + hidratante + desodorante + roupa limpa + protetor solar facial + protetor solar corporal nos braços e partes expostas + protetor solar labial e depois ainda terei que reaplicar.
É dureza.

Amanhã vou ver se consigo desatolar minha caixa de e-mails e responder os comentários e e-mails natalinos recebidos.
Embora eu seja praticamente o "Grinch".
Detesssssssssto o Natal!

Mas tudo bem, eu vou tentar sobreviver mais uma vez, mais essa vez.

domingo, dezembro 21, 2003

You ain’t nothin’ but a hound dog!

Hoje fui almoçar com o fofucho no shopping Gay Caneca. Depois fiz ele me odiar indo fazer compras no supermercado e ele me ajudou a trazer as coisas pra casa, pois é um gentleman.
De noite tínhamos combinado de encontrar o Ashikawa, meu amigo microsoftiano, que está passando o final do ano com a família aqui no Brasil, mas choveu e ele não pode ir. Mas eu fui ao meu lugar favorito com o meu amor e nos entupimos de comidas calóricas e coca cola com baunilha.

Ele é tão fofooooooooooooooooooooooooo! Ai.

sábado, dezembro 20, 2003

Hoje fui com o fofucho na confraternização do povo da Netsecurity. Ele estava tão carinhoso hoje... fiquei muito feliz. Até queimei meu filme ficando trêbada e indo experimentar óculos na Fotóptica (eu não uso óculos). Tinha ido lá tirar fotos 3x4 pra documentação da Atento.
Nem preciso dizer que saí HORRÍVEL nas fotos, né?

Ai, tô tão feliz com o fofucho... ele tava carinhoso ao cubo, nunca vi ele assim (talvez o álcool, não sei...).
Só digo uma coisa: o amor é lindo. =o)

sexta-feira, dezembro 19, 2003

Só pode ter sido isso...

"Learn how to manage stress in your life.
Eczema can flare up when you are under stress. Learn how to recognize and cope with stress. Stress reduction techniques can help. Changing your activities to reduce daily stress can also be helpful."


Tô cheia de manchinhas vermelhas. =õ(
Eu tive uma alergia no pulso uma vez por causa do contato da pele com nickel do relógio da Nike, mas nunca tantas bolotinhas sem explicação lógica.
A dermatologista disse que é eczema. Que coisa alien!
Pode ser que seja o pó também... =oP
Saco.

Samuel is the top idiot from hell.

Quando eu digo que o idiota do meu pai está fazendo pós-graduação em filhadaputice pra me irritar, não estou exagerando. Cada dia, uma nova surpresa.
A de hoje é que ele jogou fora uma embalagem de sorvete light que ia ser recolhida pra análise laboratorial pela Kibon. Chega aqui o cara que veio buscar o produto, e cadê o produto? O viadinho jogou no lixo, sem perguntar se podia e sem avisar. Fiquei com a maior cara de cu.

Depois ele veio me encher o saco por causa da fatura do cartão de crédito. Ele não controla os gastos e esquece das compras que autorizou, e as que eu já paguei a ele, e vem me cobrar, me irritar, me atrapalhar, perturbar e encher o saco. Tudo isso.

Eu quero que ele seja atropelado por um caminhão caterpilar desgovernado.
Odeio ele, odeio ele, odeio ele.

Que adianta ele me dar uma coisinha ou outra de vez em quando, se ele nunca me deu carinho, amor e compreensão? Que adianta ele ser meu pai financeiramente falando, se ele é mesquinho e hipócrita, além de gagá?
Que adianta eu me esforçar pra vencer se ele é um perdedor e faz de tudo para que eu seja como ele?

Quero mais é que se foda.

quinta-feira, dezembro 18, 2003

Coisas que me fazem rir quando tudo parece bege.

Hoje eu passei de ônibus pela rua Bela Cintra e na frente de um prédio comercial, menininhas vestidas com vestidos brancos com saiotes de ... , estavam dando cambalhotas numa lona azul esticada no chão, dançando ao som de músicas natalinas podres.

Por que em todo final de ano temos que nos deparar com corais desafinados e crianças carentes e feiosas pagando mico em roupas horrorosas num calor infernal tentando chamar a atenção de pessoas que acharão tudo aquilo dispensável?
Seria uma forma de empresas comedoras de criancinhas ficarem menos malignas aos olhos do bom velhinho contribuindo socialmente para que as crianças possam começar bem a carreira de pagação de mico de natal e se tornem mais confiantes em seu potencial de cantores natalinos de músicas irritantes e sempre iguais?

E aquelas pessoas que se vestem de Papai Noel neste calor? Loucas, completamente.
Eu apenas sentaria no colo do Papai Noel, aí tudo bem.
Mas me vestir com aqueles trajes aflitivos, jamais.
Deveriam revolucionar o final do ano, abolindo o uso dessas porcarias.

E eu não entendo por quê as pessoas desejam tão ardentemente ir pra praia farofar no ano novo.
O povo lá na Atento já estava pensando num meio de ir e voltar da praia em pleno dia 1º.
Ainda estou tentando descobrir alguma explicação lógica... sem sucesso.

Mas vocês tinham que ver as menininhas dançando pateticamente na rua... hahahahaha! Em pleno sol forte, uma coisa meio surreal.

Por isso eu digo: pais, não deixem seus filhos prestarem-se a esses papéis insólitos.
Às vezes a intenção é boa, mas não precisam expor ao ridículo inocentes criancinhas feias. Deixem elas estudarem e estimulem a leitura, por exemplo. Ou esportes, qualquer coisa. Mas dançar na rua para empresários barrigudos, é demais.

Schfaizfavoire!

Então, néam... como ia dizendo...

Eu preciso urgentemente parar de falar "né". Nunca tinha reparado no quanto uso este vício de lingüagem quando estou proclamando pérolas para as pessoas. Talvez por um pouco de nervosismo da exposição pública quando falo pra grandes platéias (até parece), não sei. De qualquer modo, tocando no assunto desses vícios, começamos a perceber como as pessoas falam e como nós falamos, mas no calor da emoção, não notamos que vamos tagarelando e intercalando com "né", que é o meu caso.

Agora tenho que me policiar mais, que o português agradece. Schfaizfavoire, Fabiana!
Eu não tenho problemas com o português escrito, mas preciso parar com o "né" durante meus diálogos. Pelo menos não falo "tipo assim", que acho péssimo. Se eu falar "tipo assim" pra alguém pessoalmente, por favor, me chicoteiem.
O "né" interrogativo no final de uma afirmação me parece ser, na verdade, um meio inconsciente de obter aprovação do interlocutor quando estamos apresentando alguma idéia, de modo que nossas idéias sejam aceitas ou compreendidas, com um retorno positivo. Assim como o "assim", que eu reparei que muitas pessoas utilizam para ganhar tempo no lugar do "ahm", que é uma pausa para quando pensamos no que dizer durante um diálogo. Também aquele "éééé" no lugar do "ahmmm" que é pra não interromper com silêncio uma frase enquanto formulamos outra, geralmente quando precisamos exemplificar uma idéia ou lembrar-se de alguma palavra específica.

Anyway, cheguei agora há pouco do treinamento de hoje no meu novo trabalho.
Ai, a minha supervisora é um luxo (pelo menos por enquanto, nos primeiros contatos), já me chama de "Fá", que intimidade... hahahaha!

Fizemos uma atividade em que tínhamos que dizer como nos sentimos hoje na operação (disse que me sinto "limitada") e como imaginamos que estaremos em 5 anos dentro da área. Ela deve ter achado que sou louca, porque revelei meus planos diabólicos de dominação do universo. Muahaha! Mas foi divertido. Pessoas normais não costumam dizer coisas assim, logo após serem contratadas, não é mesmo?
Mas de qualquer modo, agora ela que me agüente. Terei roupas de vinil. Será lindo.

Falando em sanidade mental, hoje fui na Carmem, minha nova psicóloga.
Eu pretendia ir em psiquiatra, mas gostei da Carmem.
Carmem terá de passar Gelol nos ouvidos, porque falarei compulsivamente de minhas ladainhas e de minha vida de "guaximí" nas horas vagas.
O "guaximí" é piada interna (na minha cabeça), não procurem entender. Há certas coisas que não precisam ser compreendidas. Simplesmente não há o que compreender.

Carmem Miranda é que foi sábia, saiu dançando com frutas tropicais.

Eu fui ontem na dermatologista e estou com umas manchinhas de ressecamento na pele, apesar de usar hidratante todos os dias. Terei que usar uma pomada exótica, argh! =oP Além do protetor solar até mesmo dentro de casa.
Comprei uma blusinha de 5 reais numa loja da rua do metrô e encontrei a Bi na rua.
E fui jantar na casa dela antes de ontem.

Estou em dívida com Lady Neide, tenho chegado em casa meio cansadinha.
Mas não irei desistir de caber nas calças. Eu posso, eu consigo, eu caberei nas minhas ceroulas!
I got the power!

Papi está fazendo treinamento intensivo para me enlouquecer de novas maneiras. Ele é bom nisso.

Hoje eu depilei o suvaco depois de ir na Carmem. Não sabia que tinha Depilação Vanessa lá nos Jardins.
Cara, devo ter perdido uns 10 quilos só de arrancar o tufo de bombril das axilas. Alívio, mona! Já posso dormir tranqüila esta noite. Se bem que ainda preciso depilar o pastel... tá foda.

Se alguém quiser trabalhar no suporte da Nokia também, lá na Atento, mandem-me seus respectivos currículos que eu encaminho pra minha chefinha, mas tem que ser pra ontem, que há vagas ainda pra janeiro provavelmente.

Eu não gosto de chamar as pessoas de senhor ou senhora. Acho tão subjugante e podre! Não gosto mesmo. Acho que "você" é um tratamento suficientemente respeitoso para tratar as pessoas, de modo formal ou não.
Você vem de vossa mercê. Vossa mercê é um tratamento respeitoso, não é como falar "tu", que eu já acho mais informal, mas bonitinho ainda assim.

Bem, deixemos meu lado Pasquale de lado por hoje.
Tem um colega no trabalho, o Fabrício, que desenha muito bem. Ele me mostrou hoje alguns desenhos e pinturas que ele fez, o garoto é talentoso. Pena que está lá, perdendo tempo enquanto poderia estar desenvolvendo melhor o talento dele. Imagino quantos como ele não se perdem por pura falta de oportunidade... Enfim, espero que ele possa ter sucesso com o trabalho artístico no futuro. Não seria justo confiná-lo à vida de operador de telemarketing, que é algo demasiado trivial.

De qualquer modo, vou jantar, embora meu lado fitness esteja me reprovando.
Mas as esfihas gritam e logo deverei pedalar para que possa ir para o céu.
Desejem-me sorte!
=oD

terça-feira, dezembro 16, 2003

She loves you, yeah, yeah, yeah! ... With a love like that, you know you should be glad...

Caralho, que calor insuportável! Sem contar o sono que estou, tendo que acordar tão cedo pra ir de manhã babar no treinamento da Atento. Mas estou feliz, isso que importa. =o)
Ontem depois do treinamento fui almoçar no shopping West Plaza com minha nova colega de trabalho, a Joice. Afinal, já temos que ir nos enturmando, néam?
Na volta passei no centro e comprei uma sandália de plástico da Gisele "Bilndixein" laranja e protetor solar. Preciso de quilos de protetor solar pra proteger minha frágil cútis das chibatadas impiedosas do sol.

Hoje tivemos umas atividades em grupo em relação às atividades relacionadas ao cargo. Foi legal até.
Sei que terei problemas no quesito paciência (nada que não possa ser ocultado sob um sorriso amarelo), nem tanto com clientes, que cliente é cliente e quem não sabe mexer em celular, sem comentários, mas sim em relação aos colegas mesmo, alguns me parecem meio limitados, não que influa em minha vida, mas realmente me irrita um pouco. Mas dá pra conviver (acho). É que, sinceramente, acho que falar de pagodinho e namorados não seja uma coisa muito interessante com tanta coisa boa por aí ao nosso redor, além desse trivial da novela e da fofoquinha de bairro. Ninguém precisa conversar sobre física quântica comigo, mas viver com certas amarras é meio desestimulante pra quem quer ir além. Pior que isso é uma questão cultural do brasileiro em geral, não tem jeito. Se eu perguntar qual foi o último livro que eles leram, vão dizer que foi na escola, por obrigação.

Acho que isso torna as coisas mais difíceis pra si mesmo, se vc não quer ampliar teus horizontes por si mesmo. Enfim, paciência, free cell.

Baby is good to me you know she's happy as can be you know she said so...

Sim, estou ouvindo Beatles pra variar. E o que pode ser melhor nestas horas?
Hoje tive um ataque de fúria pela manhã, não adianta, meu pai é irritante o tempo todo. Nem preciso da presença física dele pra me irritar, só de ver os rastros que ele deixa, já fico possessa.
7:30 da manhã e eu socando o armário. Ele precisa mexer nas minhas coisas afinal? Que merda.
O imbecil não respeita o espaço alheio. Aliás, ele não respeita porra nenhuma.

O importante é que we all live in a yellow submarine, yellow submarine, yellow submarine.
Já repararam em como esta criatura é fofa? Agora vou falar com ele no icq.
Cara, tem um ser lá no treinamento com um golaço. Ela talvez compreenda o significado do "golaço". "Tipo assim", as pessoas adoram usar estes termos quando estão falando, inclusive em entrevistas de emprego e dinâmicas, acho que pega meio mal, não? Tipo assim, soa meio Craudinéi, né Creide?

Então tá.
Now junior behave yourself!

PS: esqueci de citar o coral! Não queiram escutar os magníficos ensaios do coral da Atento. Cada um canta num tom. Horríver!

domingo, dezembro 14, 2003

Samuel is the hell.

Meu pai adooooora me infernizar, me chamar de vagabunda e entrar em sites pornôs pra encher o meu computador de "pleasure dialers" e congêneres, e jamais assume a culpa.
Ele toma banho de havaianas apenas pra me irritar, deixando as marcas pretas da maldita sola no piso.
Ele sabe que eu odeio que ele fique gritando pela casa e falando sozinho, e faz isso propositalmente, pra me perturbar.

Ele acha que eu devo ir num psiquiatra, porém, ele é cheio de manias, diz coisas sem sentido e repete palavras ou pequenas frases como um disco riscado, ou como se fosse um mantra.
Ele grita "uh" e "jedu" e se comporta como um demente. Às vezes ele também grita "mama" com voz fininha de gralha.
Assobia desafinadamente as mesmas porcarias de "músicas", bem alto.

Eu peço pra que ele se comporte, explico mil vezes que ele está fazendo coisas erradas, que perturbam, incomodam, mas claro, não adianta. As manias dele são insuperáveis.

Ele come de boca aberta e você consegue ouvir ele mastigando de longe.
Se você convidá-lo pra almoçar na sua casa, é capaz dele arrotar na mesa e dizer que não gostou da comida.

Aquelas tampas de plástico de embalagens de leite em pó ou Nescau, e as tampas de segurança metálicas que vêm por baixo, são todas guardadas para que ele utilize em algum plano obscuro num futuro longínqüo quando voltar pra Marte.
Se você jogar fora, ou disser que é lixo e não se deve juntar lixo, ele faz pirraça.

Eu não mereço isso.

E isso não é engraçado.
Quem rir, que conviva com ele pra ver o que é bom.
Estou em dívida com Lady Neide... Preciso voltar a pedalar.
Sexta chegou minha revista Boa Forma, pois agora eu leio esse tipo de imbecilidade e faço as receitas light recomendadas.
Sabe, pra dar um estímulo, entende?

Estou na casa do JP e fizemos um amigo secreto, e estou morrendo de curiosidade pra saber quem me tirou. Ui!
Enquanto isso, estou esperando as meninas do Cut the crap se resolverem de quando faremos o nosso.
Sister está sumida, nem me telefona... espero que tenha ido muito bem nos vestibulares.

Bem, volto depois...

sábado, dezembro 13, 2003

AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH! TÔ FELIZ!

Há alguns meses atrás, cadastrei meu currículo na Atento. Na quarta-feira me ligaram me chamando pra fazer entrevista na quinta-feira. Fui lá e fui aprovada pra dinâmica no dia seguinte, onde tinha mais gente ainda. Devia ter umas 15 pessoas, sem contar outras pessoas durante a tarde (e sem contar as já eliminadas) concorrendo a 9 vagas pra trabalhar com telemarketing receptivo da Nokia.

E eu fiz "piadinha" na dinâmica e todos riram e me senti o Bozo.
E eu fui aprovada, acabei de receber resposta!
Trevas no more!
Finalmente! Segunda-feira eu começo. =oD
Estou muito, muito feliz! Mesmo sabendo que o salário é pouco, mas poderei brincar com o N-GAGE!


Ontem fui ao Networkers, o evento anual da Cisco.
Achei aquilo muito vazio, achei que estaria cheio de velhos antipáticos de terno te olhando com a barrigona, como todos os caras de TI influentes, em menor ou maior grau, me parecem ser; mas nem isso.
De qualquer modo, ganhei uma mochilinha da Cisco de aluna netacademy, botei a foto no flog.
Encontrei o José Luis, da minha turma, e o André, de outra turma, mas tbém do CIEE, e que fazia faculdade no senac na época que eu fazia também.
Conversamos um pouco, trocamos e-mail e botamos as fofoquinhas em dia.


Dei uma olhadinha nos equipamentos-complexos-demais-pra-minha-cabecinha nas design clinics. Até que foi interessante, mas eu cheguei lá muito tarde e acabei nem assistindo as palestras.

E agora eu vou dar uma dormidinha. Já renovei meu domínio por 2 anos, espero que corra tudo bem.

quarta-feira, dezembro 10, 2003

"Quando sinto que vou vomitar um coelhinho, ponho dois
dedos na boca como uma pinça aberta, e espero sentir na
garganta a penugem morna que sobe como uma efervescência de
sal de frutas".
(Julio Cortázar)

Roubei da assinatura dele na lista de literatura do Yahoo.
Legal, néam? Vomitar um coelhinho... hahahahahahahaha!

Feliz dia do palhaço pra você também!!!

O ser que inventar um bloqueador de propagandas de móveis e cervejas para aparelhos de TV, ficará rico.

terça-feira, dezembro 09, 2003

Nuit, estou usando meias laranja!!! =oD

Hoje chegou meu certificado do curso do Sebrae que eu fiz, todo amassado, impressão totalmente mal feita, coisa de estagiário mesmo.
E eu troquei o template de Juliana e do Cut the crap.

Hoje foi um dia razoavelmente bom.
É bom lembrar: votem no Pensar Enlouquece pro Ibest e sejam bons meninos.
Vote em Pensar Enlouquece no iBest 2004!
Vi Hulk e Prenda-me se for capaz (corrigido), e adorei ambos.

Quando passa algum caminhão de bombeiros na rua, meu pai diz "oba" e corre pra janela. É uma criança.

° ° °

Bostei no Mondo. Acho que meu mau humor está se dissipando bem agora.

segunda-feira, dezembro 08, 2003

Hohoho!

Gostaria de ter essa paciência pras confraternizações de final de ano.
E seria legal ter a capacidade de me deslumbrar com as tais cerimônias familiares onde todos se reúnem e celebram mais um ano de realizações e daiquiris. Mas não me comovem nadinha.
Não sinto nada nessas ocasiões.
Não sei se pela ausência de tais festividades em minha infância, quando realmente sentia a falta de tudo aquilo que via na TV. Quando se é criança é de certo modo bacana esperar por um dia pra comer coisas boas e trocar presentes e ser abraçada pelos pais e parentes próximos, mas em casa nunca tivemos isso, então me acostumei a ter essa visão meio amarga do final do ano, além das eventuais decepções, como espancamentos em público no ano novo.
Não me inspira nada, nenhum sentimento nobre.
E não me atrai.

Por isso acho que seria bacana talvez, ter esta capacidade de se deixar levar pelo clima do natal de celebrar alguma coisa, além do faturamento do comércio.
Só consigo pensar no quanto economizamos energia elétrica durante o ano e lamentamos os reajustes da Eletropaulo, e chega o final do ano, todos começam a esbanjar novamente com essas lâmpadas idiotas e neve artificial, como se estivéssemos no inverno de Santa Claus.

A verdade é que sempre me acontece merda no final do ano, seja emocionalmente, seja fisicamente.
Quando isso se tornou uma constante, passei a desejar um sono de hibernação, de modo que possa passar incólume por tais festividades e ignorar a existência de um mês que nunca me faz bem.

Desliguem o maldito aquecedor!!!

Quando chega a droga do verão, gostaria de ir pra Finlândia e só voltar quando for inverno por aqui.
Se bem que, pra que iria voltar, não é mesmo?
Gostaria de ir embora desta merda definitivamente. Nem que vá pra uma outra merda, mas que pelo menos não faça calor lá.

Estou meio chateada porque não possuo dinheiro nem emprego, nem sou pós graduada em Harvard. Na verdade, nem graduada sou, porque não irei fazer faculdades Tabajara jamais. Eu não aceito simplesmente que um diploma qualquer valha mais que capacidade, talento e esforço e, até prefiro continuar desempregada. O chato é que não posso, por exemplo, ir tomar uma coca no Rockets.

As pessoas se enfiam nessas faculdades vagabundas, eu não tenho coragem. Agora tem faculdade particular em cada esquina. Você vê na TV anúncios esbanjando uma pseudo-inteligência e jovialidade como chamarizes para um futuro de sucesso, desde que vá lá fazer uma redação ou análise de currículo. Redação? E desde quando esse povo que faz essas faculdades sabe escrever? Não sabem escrever, tampouco serão bons profissionais, mesmo cursando tais instituições.
Mas eles terão um diploma Tabajara pra pendurar em suas paredes de pau-a-pique e terão empregos nas Casas Bahia, porque agora até pra empacotar compras você precisa de nível superior.
Mas que adianta, se o ensino superior dessas particulares caça-níquel não tem nível algum?

Enfim, eu terei que fazer uma faculdade também.
Afinal, até pra catalogar livros na Livraria Cultura, precisa-se cursar letras ou jornalismo.
Como se digitar e ser alfabetizada não fosse o bastante pra tão explêndido cargo.
O que o nível superior têm a acrescentar a um cidadão que vai apenas catalogar livros?
Ninguém vai à faculdade de letras pra aprender português. Isso deveria ser aprendido nas escolas, no ensino fundamental. Aperfeiçoar, sim. Mas aprender, nunca. Ou você sabe, ou não sabe e jamais conseguirá fazer isso direito.

É, estou irritada mesmo.
Pra melhorar minha vida, meu pai é um mala sem alça na chuva de granizo e sem rodas.
E sou obrigada a ouvir as pérolas de sanidade que ele faz questão de pronunciar.
Tenho às vezes vontade de não ouvir mais. Ou de morrer logo, só pra não ter que ouvir tanta merda.

Eu gostaria que minha vida fosse diferente, claro que só eu posso mudá-la e tenho em minhas mãos a capacidade de efetuar minhas escolhas. Só queria que fosse menos árduo o percurso. Às vezes não vejo a menor necessidade em tanto sofrimento. Às vezes o sofrimento ajuda a termos uma visão do mundo mais cética, mais sóbria. Mas que adianta tudo isso, se no final, apenas vamos perdendo nossas esperanças e nos encapsulamos em nossas carapaças de proteção?
Isso é progresso ou regresso?

Devemos ser sempre líderes, agressivos na vida para que possamos ter certo sucesso. Sempre tomar decisões e acertar na maior parte das vezes. Ou sermos comandados infinitamente pelos líderes, que não te pouparão. Você não passa de mais um. Mais um entre tantos, que podem fazer a mesma merda.

E se você consegue cumprir bem sua função, o considerarão inteligente. Não que você tenha mesmo inteligência acima dessa média que consegue fazer as coisas como manda o figurino. Você apenas cumpre o que deve ser cumprido. Não quer dizer que tenha a genialidade de quem pode criar, inventar, revolucionar. É apenas "inteligente".
Não acho que isso seja ser inteligente.

Antigamente eu agradecia quando me diziam que era inteligente.
Hoje eu já me pergunto se devo rir na cara de quem me diz isso, ou se devo apenas ser educada e agradecer, pois não vejo fundamentos em tal afirmação. O que vocês conhecem de mim que podem utilizar como critério para tal afirmação? Nada, ou muito pouco. Não é baseando-se em pequenas demonstrações de capacidade de fazer coisas simples (tão grandiosas para alguns) que podem dizer se sou ou não inteligente.
Há certas coisas que qualquer pessoa dotada de cérebro pode fazer.
Não quer dizer que repetir atividades comuns, com certa eficiência, seja sinônimo de inteligência, mesmo quando de forma criativa, inusitada.
Criatividade pode até ser uma forma de inteligência, mas não é inteligência pura e simples, como na concepção usada desta palavra.

Você não é inteligente, é apenas mais um.
O que você faz que possa ser considerado realmente algo inteligente, interessante?
Crianças são inteligentes. Nem sempre, claro.

Mas o que dizer sobre este nosso papel de repetir ciclos indefinidamente, sem se questionar se faz ou não sentido?
Ouço as pessoas dizendo: quero trabalhar na empresa dos meus sonhos, quero o homem ideal, vou comprar o carro da minha vida. Isso é ser inteligente? Trabalhar na empresa X? Considerar "homem ideal" uma pessoa que é apenas mais uma pessoa, como qualquer outra, apenas por seus atributos físicos ou certas preferências peculiares? Considerar algo fantástico o que é apenas um meio de transporte superfaturado pelas indústrias exploradoras automotivas nacionais, que geram lucros para suas matrizes em outros países?
Não.

Portanto, não me encham o saco. Não venham me dizer: "nossa, como você é inteligente!".
Não posso ser considerada assim se não faço nada além de me lamentar pelo que poderia ser e não sou, não fui e talvez não seja, mas gostaria de ser. Gostaria de ter poderes de controlar coisas que vão além do meu alcance.

E, quando meu pai grita na cozinha:
- Fabiana, faça o jantar!, apenas o considero um velho idiota, que pensa que pode mandar eu fazer coisas que não farei, porque simplesmente não sou sua empregada, e não sou comandada pela falta de respeito. Não há "por favor", "obrigado", "me desculpe" e outras coisas simples. E daí que ele tem diploma? Não passa de um louco. Fala sozinho o dia todo, acomodado em sua falta de iniciativa.

Eu tenho muito medo de acabar como a grande maioria, pensando apenas na nova escova Revo Styler no Polishop e no que pode ser feito no final de semana enquanto balançam seus rabos em roupas de lycra para atrair, conscientemente ou não, o macho da espécie que melhor se adapte a suas preferências superficiais. Não quero pensar no que será do último capítulo da novela, se a Maria Clara fica ou não fica com o Guma, porque são só imagens falsas de pessoas que não existem. Eles não exibem a verdade. E quem se interessa por ela afinal, não é mesmo?
Entorpecer as mentes de futilidades é mais confortável e nunca vamos encarar que somos apenas bundas gordas inúteis sentadas em cadeiras esperando a vida passar, supondo ter um conforto que não temos a longo prazo, porque somos acomodados e bestas.

E eu tenho que viver com um infeliz que não faz nem a compra do mês pra ter algo pra comer. O que fazer pra mudá-lo? Nada, eu só posso mudar a mim mesma. Doa ou não doa. Mas um dia a flexibilidade acaba e ficamos adultos padrão pensando no imposto de renda e empregos que não satisfazem nunca e maridos que não querem comer coisas saudáveis e vamos comprar vestidinhos caros no shopping para ter algum prazer simbólico.


E tudo isso pra dizer que não me sinto feliz por estar cercada de tanta merda, tanta gente besta, tanta desilusão.
Não podemos ser saudáveis, não podemos ser de fato inteligentes, não podemos ser pessoas de sucesso verdadeiro.
Ao mesmo tempo que, o mundo nos cobra exatamente isso, de uma forma ou de outra, geralmente só nas aparências.

Eu quero mudar o mundo, mas só posso mudar a mim mesma.
Queria não chorar ao ver o mundo com tanta desesperança e esse ceticismo que pra mim parece mais pessimismo.
Onde enfiei meu otimismo afinal? Posso ser inteligente por me deixar influenciar pelo que está fora de mim? As pequenas dores vão sempre se acumulando, juntam-se às grandes perdas e às insatisfações e um dia... BUMMM! Explode-se e o otimismo vai pelos ares. A vida passa a ser a mesma merda cinza de sempre, como era para seus pais e como será para seus filhos num futuro próximo (ou não).

Foda-se. Vou mudar por mim mesma. Se as coisas não podem ser 100% lá fora, gostaria que fossem pelo menos aqui dentro de mim. Gostaria muito, mas sei que nunca será assim. Desanima, não é mesmo?

É melhor eu ir comer alguma coisa e depois gritar ao subir na minha balança fútil.

domingo, dezembro 07, 2003

Caloi Home Transport CL HT03

Magazine Luiza - R$ 669,00 à vista
Caloi Shop - R$ 1.008,30 com desconto
Dshop.com - R$ 699,00 à vista
Compra Fácil - R$ 694,00 à vista
Submarino - R$ 720,00

Diferença absurda de preços!
Não comprar em nenhuma loja porque tá muito caro e você não tem reais no bolso: não tem preço.

sexta-feira, dezembro 05, 2003

Esse calor está me enlouquecendo. E eu estou ficando deprimida ouvindo Carpenters repetitivamente.
Salvem-me!

Peidos grátis!

Cansei de participar dessas promoções que os prêmios são sorteados.
Eu nunca ganho nada por sorteio. =oP Que saco!
Desse jeito não valerá a pena comprar o carnê do Baú.

George Foreman Grill

Sinto que estamos fritando numa grelha gigante. Que calor tosco, hein?!

Ontem tive que ir lá no centro pagar o boleto atrasado das Lojas Renner e pagar a prestação das Casas Pernambucanas pra minha mãe, que só me liga pra me esculachar ou pedir esses favores.
Aí aproveitei pra me endividar mais ainda e fiz compras na Marisa, de mulher pra mulher.

Então meu saldo de compras de ontem foi: uma calcinha na Renner e uma bolsa DOURADA com dragões orientais que é brega mas achei um luxo. Uma saia listrada, uma camisa listrada e uma camisa azul-calcinha e uma calça daquelas de tactel curtinhas azul marinho na Marisa. Um top de ginástica frente única azul marinho e uma meia laranja de aeróbica.
Tudo baratim, claro.
Em mil e uma parcelas sem juros e mil boletos pra pagar.
Mas saí feliz da vida, pois agora já tenho o que vestir.

Que mulher não gosta de sair por aí comprando freneticamente afinal? Ui!

E pedalei em Lady Neide freneticamente, pra queimar as calorias do chocolate que meu lado Sloth me forçou a comer.
E ontem ainda senti resquícios do efeito do chá de sene. Aff!
Antes de ontem fui jantar com o fofucho, um milagre pra um dia da semana.
Segunda e terça fui na casa de Lady Onça aborrecê-la e arrumar o micro dela. Crianças, jamais comprem Compaqs e Itautecs, combinado?

E é isso. Comprei também um travesseiro novo e o fofucho me deu lençol e fronhas de presente (já que não tenho nem isso em casa).
Agora só falta eu arrumar um emprego. E não é por falta de vontade não.
Enfim, deixa eu cuidar da minha vida.
=o*

quarta-feira, dezembro 03, 2003

>> Balada

substantivo feminino
1 Rubrica: música.
composição musical de caráter épico
2 Rubrica: música.
composição instrumental sem forma definida
3 Rubrica: literatura, música.
composição poética popular antiga, acompanhada ou não de música
4 Rubrica: literatura.
poema em estrofes que ger. narra uma lenda popular ou uma tradição histórica, podendo ser acompanhada por instrumentos musicais
5 Derivação: por extensão de sentido. Rubrica: dança.
dança executada com esse fundo musical
6 Rubrica: versificação.
poema ger. constituído de três estrofes com rimas recorrentes, um envio (tb. dito oferta, ofertório)e um refrão que finaliza cada parte
7 Rubrica: música.
canção sentimental, em ritmo lento, interpretada por cantores de música pop, acompanhada por conjuntos de instrumentos modernos, como guitarra, teclado etc.
Ex.: uma b. dos Beatles


Pronto. Agora que todos já sabem qual o significado da palavra balada, parem de utilizá-la impropriamente.
Eu não vou a baladas, eu posso até escutá-las e apreciá-las, mas geralmente eu vou a bares mesmo.
Por que inventam tantas gírias e termos idiotas?

Vai mingau aí?

Jisuis! Tomei o tal chá de sene e caguei horrores!
Tá com prisão de ventre? Tome chá de sene. Não é que o efeito é bombástico mesmo?
Eu não tenho prisão de ventre, cago que é uma beleza, não sei pra que fui tomar o chá de sene.
Espero que ao menos ajude a emagrecer, porque caguei mingau com violência.
Se seu cu é froxo, não tome chá de sene.
Se você quer arriscar, tome chá de sene.

Ele chegou!

segunda-feira, dezembro 01, 2003

♠ Just eating marmalade skies... ♠

Lucy in the sky with diamonds! Tuf tuf tuf! Lucy in the sky with diamonds!

Então, tipassim, domingo nem foi tão horrívi assim.
Passei o dia com o fofucho aqui em casa e fiz ele comer coisinhas quase saudáveis, mas ele é muito teimoso e não quer aderir a minha nova mania de ser saudável.
Eu comi coisas altamente calóricas ontem e hoje e até passei mal e Lady Neide me recriminou.

Comprei chá de sene ultra natural e orgânico, e o JP já foi pensando logo em fumar, claro. Depois eu é que sou bizarra.

Gostaria de mudar algumas coisas. Gostaria de fazer outras tantas. Gostaria de realizar sonhos.
Eu espero conseguir sobreviver a essa merda de final de ano e fazer com que o próximo seja melhorzinho, embora essas questões de "ano novo" sejam só simbólicas e meramente calendáricas.
Tenho um histórico de final de ano nauseabundo, parece que em dezembro entro no inferno astral, se é que isso existe.
Posso dizer que Murphy fica mais estimulado pelo calor e me sacaneia até o inverno.
Sem contar que este ano estou mais gorda que ano passado, embora já tenha perdido dois quilos, mas ainda não dá pra entrar nas calças sem ser a vácuo.

Mas eu sou otimista por natureza e não irei desistir.
Caberei nas calças e serei feliz com estrelas no nariz.