quinta-feira, dezembro 30, 2004

Bazar de ano novo.

Tomei coragem e tirei milhões de tralhas dos meus armários pra doar e quase morro asfixiada na poeira. E o pior é saber que ainda falta muita coisa, e eu nem sei onde vou enfiar meus pijamas. Além do mais, nem tenho tantas roupas assim. Ainda há muitas velharias que eram de minha avó nos armários do meu quarto e preciso me livrar de tudo isso de uma vez por todas. E de meu pai junto, que ele só atrapalha, e quer guardar tudo "pra usar na próxima encarnação".
Espero que essas coisas possam servir pra alguém, já que vou doar.

Estou com um princípio de gripe, esquisita.
Não sei onde enfiar minha coleção de pinguins e a Hello Kitty. Céus!
Melhor eu voltar pra arrumação senão não poderei dormir hoje no quarto com tanta bagunça. Jisuis. Quem dera estar viajando ou fazendo algo mais agradável longe desse caos...

Pigarrinhos gripais.

Troquei o template, só pra variar um pouquinho. Está brega, eu sei. Meu lado Rosana cantando "como uma deusa" aflorou hoje. É que monstruei. Deve ser isso.
Aliás, é incrível como eu fui destinada a passar todos os reveillons de fralda. Eu mereço...

Dia de arrumar o armário.

Estou protelando há séculos uma limpeza e organização do meu quarto, mas pelo visto não dá mais pra adiar. É hoje ou hoje. Seja o que Deus quiser.
Se sobreviver eu volto.

quarta-feira, dezembro 29, 2004

Salve Jorge Amado Jorge.

Estou peidando horrores hoje. Comi abacaxi.
Mas ainda me sinto inútil.
Não sinto vontade de fazer nada, nem de falar com ninguém, mesmo tomando meu anti-depressivo. Quero voltar a ser normal, no meu auge de normalidade e produtividade. Quero parar de comer porcarias quando estou ansiosa ou nervosa ou com medo de alguma coisa idiota. Seria pedir muito?
E quero ler Harry Potter em janeiro.

Nothing wrong.
Posted by Hello

terça-feira, dezembro 28, 2004

A literatura perdeu mais um importante ícone.

Morreu a Susan Sontag. Magoei.

Por que o Paulo Maluf não morre afinal? Só morre gente legal. Isso pode significar que quanto mais chata e cuzona eu for, serei eterna. HOHOHOHOHO! Tenham medo.

Hoje eu comprei um tubo de cola.
Muita emoção, não?

segunda-feira, dezembro 27, 2004

I love Lucy


Minha boneca Lucy acabou de chegar do Submarino. Presentão do fofucho de natal. Minha primeira Barbie Collectible! Que emoção! É linda, perfeita. Igualzinha a Lucy do seriado. :-D
Posted by Hello

domingo, dezembro 26, 2004

Vazio natalino.

Eu ainda não consigo acreditar em Natal. Talvez porque eu nunca tivesse uma família de verdade a ponto de merecer uma confraternização como fazem todas as outras. E comemorar com a família dos outros sempre foi pra mim como viver da caridade e os restos, as migalhas dos demais. Sempre me entristeço com essa sensação que nunca me escapa no final de dezembro. Meus pais sempre foram a ausência presente. Nem sei se posso considerá-los realmente minha família. Não tenho sequer a amizade deles, a sintonia que têm todos os filhos com seus pais. Pra mim isso não existe, e o Natal é apenas a data pra rememorar este vazio intenso.

Meus amigos acabam sendo a minha escolha, o alvo do amor que não tive a quem dar pela família inexistente. Pareço até personagem Disney, sempre órfão ou vivendo entre madastras cruéis ou familiares merecedores de castigos sem limites, mesmo sendo tudo isso um exagero às minhas atuais circunstâncias. De certo modo, minha ausência do mundo e essa vontade de se fazer invisível até que se acabem todas essas comemorações que não me cabem é fruto desse sentimento, dessa sensação de abandono e invisibilidade eterna. Não estou acostumada ao calor humano e tudo isso me é novo e me assusta. E é por isso que eu fujo. Sempre fujo, tentando esquecer que existo, que alguém ainda assim me deseja por perto e eu não quero ter que me abrir e sentir o calor que até então era me privado pela ausência dos que deveriam ser presentes sempre em minha vida, mas que nunca estiveram por perto com braços abertos para o amor e para o natal. Agora não me interessa mais tudo isso e eu continuo a fujir, a escapar entre os dedos dos que mesmo assim me querem presente.

Mesmo aos meus amigos é de certa forma um pouco doloroso desejar feliz natal, sabendo que no fundo, mesmo com eles perto e todos seus desejos sinceros de que eu tenha também um dia feliz e cheio de amor e amizade, não consigo deixar de me questionar sobre tudo aquilo que a data simbolizava pra mim, que era distante de tudo aquilo que deveria ser. Uma ausência minha, e somente minha, que se tornou parte de mim e de minha história, aparentemente perpétua, irremediável. Até quando não sei dizer.

Por isso espero passar esse final de ano e as datas terríveis, as datas do vazio e da vontade de permanecer isolada em reflexão (des)necessária para voltar ao convívio pleno aos que me são queridos, aos meus amigos, aqueles que tudo significam de humano para mim. Enquanto isso, volto à minha rotina de fugas bestas e covardes, de raiva, lágrimas, alegrias também, e uma solidão benéfica, que me faz mais forte, embora azeda certas vezes. Pois saibam que, embora pareça insensível e cretina, amo todos vocês, e isso ninguém me tira, nem mesmo minhas confusões emocionais bizarras que surgem das trevas do meu coração. Volto logo e, enquanto isso, espero que divirtam-se e aproveitem suas famílias presentes, os amigos e os presentes de grego, os bebuns e todas as alegrias que puderem ser sentidas.

Beijo nas crianças.

sábado, dezembro 25, 2004

quinta-feira, dezembro 23, 2004

Citalopram, venlafaxina, sertralina, e tudo o que for necessário pra manter a sanidade.

Porque definitivamente, eu moro num hospício.
Meu pai surta todos os dias o dia todo e não há cristo que agüente.
Acho que ele lambeu muita merda e ficou assim, demente.
Eu tenho que passar menos tempo em casa, até o psiquiatra concordou com isso.
Não há solução por enquanto.
Meu pai se recusa a ir se tratar. Tenho que levá-lo amarrado, mas não tenho forças pra isso. O inferno é aqui, por isso não tenho receio das coisas se tornarem piores.

Mommy gave me this rose.




Posted by Hello

quarta-feira, dezembro 22, 2004

"Ranga-me no ato, cê e o cara só no álcool."

Hoje fui ao meu psiquiatra e minha última medicação prossegue pelo menos por mais um mês. Talvez ano que vem eu tome algum remédio pro DDA.
Mas tudo bem, porque eu comprei presilhinhas de cabelo pra usar no Natal.
Eu tinha que ir hoje no shopping, mas me esqueci. Amanhã estará um inferno, sem dúvida.
Valha-me God.

terça-feira, dezembro 21, 2004

segunda-feira, dezembro 20, 2004

Gostaria que fosse inverno aqui também.



Estou derretendo. Isso me deixa molenga e chata.

Mal amada.

Nasci pra ser vilã. Me sinto um pouco desprezível, nem pelos atos em si, mas pelo fato de que não consigo me desvencilhar desse peso que me puxa sempre pra baixo, pra inércia e apatia. Eu sempre estou a poucos passos de um grande abismo, e tento me esquecer do desespero da minha vida. O desespero é sempre uma constante.
Sinto-me chata, esquisita, sempre a esquisita e mal amada, que não se faz compreensível. Cansada de tudo isso, mas ao mesmo tempo incapaz de fazer as coisas diferentes. Essa família me desespera e o desespero não me deixa viver mais que o necessário. E assim eu sempre choro e respiro porque viver é minha obrigação. E tudo é esquisito e pesado. O ar é como se fosse lama, e essa lama pesa sobre mim e não me permite movimentos bruscos. Eu quero sair dessa lama, que me oprime e me protege. Fora daqui me sinto feliz, mas no meu cérebro reluzem fragmentos do medo, que me conduz de volta à lama da opressão e do conforto das paredes. E viver torna-se cada vez mais difícil dessa forma, nessa espessura rude de realidade, intransigente, indesejável.

Por que não consigo me sentir mais feliz? Se é que um dia fui, porque tudo agora me parece ter sido ilusão, um modo paliativo de prosseguir, quando você permanece imune a essa bruma quente de tristeza do mundo. Difícil de respirar. Como a morte. Ela parece se atrasar, rir de mim espreitando-me do armário. Ri de mim. E eu sinto isso, e choro. Sei que ela não me assusta apesar disso. É fresca, uma esperança enfim. Um pontapé de renovação. A vida se diverte às minhas custas. Me entupo de antidepressivos pra conseguir viver sem tomar conhecimento das coisas. E já me sinto meio morta, vivendo dessa forma cretina e violenta. Passageira clandestina de um trem fantasmagórico, cheio de pessoas ricas, sorrindo com seus dentes amarelos e seus casacos elegantes de pele de bicho decadentes. Elas sorriem e me intimidam com suas porcarias reluzentes, suas vidas falsas e cheias de caprichos superficiais. Sinto pena e sinto angústia diante de tudo isso. Deslocada. Sempre.

domingo, dezembro 19, 2004

A pipa do vovô não sobe mais.

Sinto saudades daquela verborragia psicótica que me acometia antigamente. Daqueles posts quilométricos cheios de melodrama desnecessário. Cadê tudo isso afinal? Onde pode ter ido parar?
Só sei que hoje esqueci de tomar meu remédio. Espero que este fato não provoque nenhum efeito colateral exótico.
Hoje consegui ver Sex and the city no canal 21, mas era um episódio que eu já tinha baixado e assistido. Mesmo assim foi legal. Só não baixo os outros porque não cabe no meu HD e eu estou protelando uma organizada de emergência.
Já estou cansada desse vício pelo caos na minha vida. Meu muquifo está sempre uma zona e eu não tenho nada do jeito que eu queria. Dá vontade de queimar tudo e ir comprar cigarros, e nunca mais voltar.

Preciso ir na loteria. Se eu ganhar na mega sena vou fazer lipoaspiração.
Me sinto mongol. Mais do que o normal e necessário. Deve ser o calor.

Hoje fui fazer o raio da prova da Unesp na puta que pariu, aliás, no Pari, embora eu não tenha parido e não seja puta, e cheguei 1 minuto atrasada e os malditos já tinham fechado os malditos portões e não abriram mais. Então eu fui me embora e aproveitei pra tirar umas fotos por aí, e depois fui pra casa do JP, e ele fez a maior surpresa e me pegou de carro no metrô. Passeamos de carro e ele me trouxe em casa. Até que pro primeiro dia ele está muito bom nisso, embora ele ache que não.
Peguei uns dvds e mais tarde vou assistir, depois de ler um pouco. Estou pensando em procurar emprego, mas estou com preguiça. Na verdade eu só queria a parte do dinheiro, que é uma eterna ausência em minha vida de lesma. *suspiros*
Posted by Hello

Da Vinci Code.

Terminei ontem de madrugada a leitura do fantástico O código Da Vinci, do Dan Brown. Foi o livro que mais gostei de ler até hoje, sem dúvida.
Agora fica aquela sensação de saudades da trama e dos personagens... acho que vou reler ele assim que terminar os outros livros já começados.

Estou com sono. Melhor escovar os dentes e ir pra cama logo. =oP
Amanhã (hoje) será um dia bizarro.

sábado, dezembro 18, 2004

Agora sim.

Matei a vontade de ter um livejournal. Minha alma poderá enfim descansar em paz.

quinta-feira, dezembro 16, 2004


Eu e meu porco estamos morrendo de calor.
Posted by Hello

Infância tem gosto de Fandangos queijo.

E isso é reconfortante.
Saudades da pré-escola... era quando a inocência não me fazia vítima da maldade alheia ainda. Agora não sobrou nada disso. Só o Fandangos e minhas células adiposas.

Nhé.

quarta-feira, dezembro 08, 2004

Veruca Salt says: I want it now!

O submarino é sem dúvida uma tortura pra mim...

terça-feira, dezembro 07, 2004

Churrasco de pônei melancólico.

Há dias venho ensaiando um novo post, mas sempre desisto por falta de idéias, tempo e novidades. Meu teclado está cheio de sujeira e comida e eu botei meu edredon, que estava encostado desde o carnaval, pra lavar, então espero que a máquina de lavar não levante vôo, porque ela fica rebolando freneticamente e isso me assusta.

No final de semana fiz as duas provas do vestibular da Puc e, espero sinceramente ter passado, embora no segundo dia tenha deixado a parte de matemática/física em branco e tenha ido muito mal em química, o que já era de se esperar.

sexta-feira, dezembro 03, 2004

Mau humor estratosférico.

Hoje acordei cedo e fui obrigada a acompanhar meu pai na endoscopia no Lavoisier, e depois fui fazer meus exames de sangue anuais em frente, no Elkis, mas descobri que os malditos se juntaram ao Lavoisier, e por isso não atendem mais meu plano da Amil, e fui obrigada a ir no Campana, que eu acho uma bosta. E o pior é que não pude fazer todos os exames e nem mijar no potinho, porque estou monstruada, então terei que ir novamente na semana que vem.
Meu pai ficou se fazendo de coitado depois do exame por causa do líquido anestésico que deixa ele mais mongo que o habitual, e depois da peregrinação por laboratórios fomos almoçar no Uno Due.
Mal resolvi dar um cochilozinho depois do almoço, a folgada da minha mãe liga pra eu ir pagar o boleto das Pernambucanas pra ela, como se eu não tivesse mais o que fazer. Pois nem me movi, eu precisava dar uma dormida.
Hoje iniciei o tratamento com um anti-depressivo novo, manipulado. Espero que tenha um efeito bom. Falei com o JP no telefone agora há pouco, mas ele está com preguiça de vir me ver, mesmo tendo prometido que viria, então foda-se ele. Não preciso disso no momento.
Minha vida é muito desanimada e tenho que lutar muito pela minha independência e auto-suficiência, especialmente financeira, que é o ponto-chave. Não sei o que fazer.
Ninguém me cobra mais isso do que eu mesma, e não é à toa que estou com uns cabelos brancos... Cansei de ser o Monstro Mya.

quinta-feira, dezembro 02, 2004

terça-feira, novembro 30, 2004

Life is just a bowl of cherries... Or not.

Ontem fiz depilação, fui ao médico e fiz as unhas. Me senti até humana depois disso.
Continuo tendo zilhões de coisas pra fazer e não sei como dar conta de tudo e nem por onde começar. Amanhã vou novamente ao meu psiquiatra e terei aula de costura. Tenho que terminar uma camisa, a bermuda e uma calça que nem comecei ainda e nem sei onde devo costurar primeiro. O foda é que toda vez que uso o overlock do senac uma das linhas escapa e eu não sei colocar. Aí permaneço atrasada na conclusão das peças, então terei que chegar antes amanhã pra conseguir fazer isso, e o normal é que eu chegue atrasada.
Sábado passado fiz a prova final do inglês, e no próximo não terei aula, mas terei vestibular e isso é quase totalmente idiota.
Ando assistindo novela mexicana durante as tardes. Assim precisarei de um transplante de cérebro em breve.

quarta-feira, novembro 24, 2004

Alta costura na Maison *********


Hoje fiz um vestidinho anos 50 pra Barbie. Agora fiquei com inveja e quero um pra mim também. =oP
A diferença é que não dá pra usar retalhos no meu caso... Humpf.

Hoje tive aula de costura, e agora estou morrendo de sono.Posted by Hello

quinta-feira, novembro 18, 2004


Comprei um copo fofo da Hello Kitty! Lárarirará!
Posted by Hello

=^ . ^= Meow!


Esse é meu gorrinho de gato que fiz noutro dia. Em breve farei outros pra vender pelo circodepulgas. Hohoho!
Por enquanto estou eu aqui a baianar usando havaianas com meias verdes. Melhor me esconder dos olhos alheios.
Posted by Hello

segunda-feira, novembro 15, 2004

Belleville Rendez-vous



Assisti ontem esse filme, e simplesmente AMEI. Já está nos meus ultra-favoritos.

"Look out, Nemo. Your main competition as Oscar bait has been found. THE TRIPLETS OF BELLEVILLE, a clever if bizarre blend of vintage Warner Bros. Cartoons, postmenopausal Andrews Sisters and Buster-Keaton style bumbling, starts with the most Disney of premises: a lonely orphan is consoled by his teeny club-footed granny with a gift of a bicycle. But once Champion hops on his wheels, the nearly dialogue free French-Canadian-Belgian coproduction takes off to places weird and whimsical. The visually splendid oddity directed by French animator Sylvain Chomet sent the crowd into frequent fits of giggles and its exposure here could definitely give Disney-Pixar's FINDING NEMO, a run for the feature animation Academy Award."
-Susan Wloszczyna, USA TODAY

Really a masterpiece. Ler essa bizarrice: "postmenopausal Andrews Sisters" me fez rir. Pior é que parece mesmo. Mas eu adoro as Andrews Sisters. Mesmo pós-menopausa.

sexta-feira, novembro 12, 2004

Fat fat fat.

Estou no auge da minha gorduchice outra vez. Não é à toa que nem o JP quer me comer.
Preciso tomar vergonha na cara e emagrecer. =oP
Magoei.

quinta-feira, novembro 11, 2004

Ontem assisti Os esquecidos com o Jp e almoçamos juntos.

Vou costurar umas coisinhas daqui a pouco. Preciso cagar.

Pseudo-levitação momentânea. Antes que uma bomba caia em meu cocoruto.

Que a minha vida é esquisita não é novidade, mas ando com a sensação de que as coisas andam melhorando, talvez. Se é uma falsa sensação eu não sei, mas hoje pelo menos, tirando a existência histérica do meu pai, tudo parece satisfatório e calmo para pensar, refletir e criar. E eu não me sinto um "poço de mau olhado", como um anônimo imbecil sugeriu num comentário aí abaixo.
Quando meu pai não está por perto me aborrecendo de algum modo eu me sinto bem, com aquela paz de espírito que os charlatões tentam oferecer em livros de auto-ajuda, e que no entanto é algo que só você pode se dar.
Infelizmente não vendem cérebros no Polishop, que é uma das poucas coisas que conseguem me enfurecer quando eu volto a constatar a realidade exterior. Se preocupar muito com o mundo lá fora e com o que as pessoas fazem, pensam e dizem é um mal desnecessário e evitar este contato com a burrice alheia é uma boa opção.

Está chovendo e eu estou feliz de alguma forma, mesmo sem precisar de um motivo especial pra isso. Talvez seja simplesmente um dia bom e pronto. Daqueles que se intercalam com dias tenebrosos e chochos. Talvez os ditos homens sábios tenham exatamente esta consciência, de que os dias ruins são também necessários e virão certamente, mas nem por isso se abalam ou se preocupam antes da hora, de modo que podem aproveitar os dias bons com plenitude e felicidade, o que torna as coisas mais agradáveis por conseqüência. E é justamente isso que faz a diferença. Quem gosta afinal de pessoas negativas e remelentas por perto? Já o contrário também se nota, de modo inverso; algumas pessoas são agradáveis de se ter por perto, talvez porque saibam viver suas vidas sem se preocuparem muito com a vida dos outros e com os problemas vindouros. Sofrer por antecipação é uma porcaria, enfim.

Essa semana minha mãe apareceu aqui em casa e fiquei feliz de vê-la, e também feliz porque finalmente ela passou a me tratar melhor com a maturidade dela. Isso só prova como o tempo às vezes faz bem às pesssoas, e como o passar dos anos as modificam profundamente. Claro que isso não é uma constante, mas é natural que seja assim.
Tenho uma flor nova num copo d'água na minha janela.

Tenho várias coisas pra fazer. Já que minha organização é uma coisa meio utópica, melhor eu ir fazendo o que deve ser feito, que ficar parada esperando as coisas mudarem. E mudar é uma das coisas que considero mais importantes na vida. Só duas coisas não mudam: meu pai e a inevitabilidade do destino e do desconhecido. E a morte, que um dia chega pra todos. Mas não vou mudar de assunto, vou mudar coisas mais imediatas e materiais mesmo. Vou lá, mas volto.

E a quem possa interessar e tenha notado, realmente tenho passado menos tempo conectada. Talvez seja exatamente esse o X da questão. Não acho que esteja sendo ruim essa coisa de passar menos tempo conectada e morgando em frente ao computador. Tem muita coisa interessante pra se fazer longe das teclas também. Pra quem ainda não percebeu, fica a dica.

sexta-feira, novembro 05, 2004

Fuuuuuuuuuu... Fuuuuuuuu... (assoprando pra passar o calor)

Tenho uma nova máquina de costura e já quebrei duas agulhas desde ontem.
Acabei de esmagar um inseto que caiu no teclado e eu tenho que ficar rica pra pagar as prestações da máquina, que é cheia de modernidades.
Hoje está um calor danado e passei a tarde fazendo a costura de uma saia que não usava há mil anos, e comprei há pelo menos 10 anos, ou quase isso.
Aliás, eu quase que só tenho velharias, basicamente, além de morar num museu com uma múmia embolorada que fala com amigos imaginários, mas isso não vem ao caso.

Estou com sono e de saco cheio do calor. Eu sim, pareço uma velha que range como uma porta igualmente idosa. Nhéééé...

Hoje fui à feira e comi pastel de palmito.
Adoro um palmitão. Ui.

quarta-feira, novembro 03, 2004

Eu odeio as eleições e os eleitores xucros.

Ontem tive um momento de decadência novamente, e fiquei choramingando pelos cantos, deprimida, sentindo-me a última das moicanas, no melhor do "ninguém me ama, ninguém me quer". Agora já superei. Ou quase isso. Nada como um chocolate para massagear o coração moribundo de uma lady cambaleante.
E hoje o dia começou meio bizarro. Essa história de horário de verão e eu usufruí de poucas horas de sono reparador de beleza, porque fui pra aula de costura de manhã. Sempre atrasada, claro. Terminei a saia que a professora ensinou. Mas antes, lutei com a máquina de costura e o sono, desfazendo meu serviço porco umas 500 vezes, pra refazer direito. E na hora que tudo parece ir bem, a linha da bobina acaba. Aí eu refiz a costura novamente. E foi bizarro. Fiquei lá no senac depois da aula, até que as faxineiras invadiram a sala pra fazer a limpeza. Eu fazia companhia para os ventiladores de teto.

Estou morrendo de sono. Apreensiva, porque eu tenho uma novidade que não poderei contar até que seja uma novidade concreta, senão talvez não venha a ser novidade. Bizarre, bizarre. Ces't bizarre.

I need to go sleep.
*suspiros*

terça-feira, novembro 02, 2004

If you are not a boring person, call me.

Meu estado de espírito não é dos melhores hoje. Embora eu saiba bem que tudo poderia ser pior. Estou animada pra algumas coisas que, por falta de recursos, estão inviáveis de serem feitas hoje.
Quero tomar sorvete e passear no parque e ver flores bonitonas.

domingo, outubro 31, 2004

Reverências ao gelo, o inverno, o ventilador e o ar condicionado.

Estou derretendo. Quando chega o verão eu me lembro como odeio viver em país tropical.
E ainda não está calor de verdade. Até dezembro eu ainda morro.

Hoje eu cozinhei. E desfiz meu crochê venusiano pra fazer tudo de novo.
Comi demais e comprei uma calça listrada na Marisa, pela internet, claro.
Comi tanto que já estou com pena das minhas pregas. Tudo que entra tem que sair afinal.
Tô semi-bege.

quinta-feira, outubro 28, 2004

Crochê venusiano.

Hoje busquei nos correios minhas agulhas de crochê tunisiano que comprei pela internet.
Agora só falta comprar linha e começar a fazer. Isto é, se eu entender os diagramas, segundo uma revista que comprei esses dias. Não parece tão difícil e o trabalho é bem bonito. O foda de artesanato é que pra fazer algo interessante você leva eras, e parece que não rende muito o trabalho manual.

Ontem de noite tive que esperar meu vizinho maldito do andar de baixo mandar embora os convidados dele pra conseguir dormir. Não adiantou muito os mil pedidos por silêncio que foram feitos; a falta de respeito e educação prevaleceu. Com certeza não deixarei por isso mesmo, seja aniversário do infeliz ou não. Segundo meu pai, esse cara veio morar aqui no prédio justamente porque expulsaram-nos de outro, por causa do barulho que faziam. Já vi que terei algumas noites difíceis, mas não por muito tempo. As pessoas deviam me querer sempre como amiga delas. Do contrário... hehehe! * Coração ficando preto mode on *
Pessoas cretinas e Fabiana não podem ocupar o mesmo lugar no espaço. Nem o mesmo planeta. Nada. Me tornei intolerante pra esse tipo de coisa. JP costuma reclamar comigo quando abro o berreiro, mas não tenho cara de idiota. Ou até tenho, mas idiota não sou, e faço questão de deixar isso bem claro. E no mínimo o filhinho de papai do andar de baixo vai levar uma multa, se depender do meu bom humor. Humpf.

Hoje estou de saco cheio de tudo. Mesmo que não tenha motivos o bastante pra isso. Apenas estou xarope, como o céu está azul. E pronto.

Quero uns dinheiros.
Tenho que bolar alguma estratégia mirabolante.
E quero uma lipo na pança. Não gosto desse "enfeite" pendurado.

quarta-feira, outubro 27, 2004

Ai, caralho! Hoje é dia de eclipse!


Só uso faiãlas lexítimas!
Posted by Hello

Entupimento por açúcar.

Hoje foi dia de muito sono, mau humor remediado por croissant de manhã, chegar atrasada na aula de costura, lutar com máquina de costura pra pregar zíper invisível, desvendar os mistérios da costura manual, ter medo do ferro a vapor, renovar o livro na biblioteca, ir no conjunto nacional, achar um absurdo o preço de tudo na papelaria em frente à livraria cultura e mesmo assim comprar alguma coisa, almoçar com JP no Montana Grill, visitinha ao Standcenter com direito a carteira nova da Hello Kitty, praguejar contra um motorista de ônibus que não quis abrir a porta fora do ponto, tomar milkshake de ovomatilde do Bob's e ter uma overdose de açúcar arrematando com o bolo e as tranqueiras açucaradas que mamã trouxe de manhã enquanto eu babava no travesseiro. E aliás, minha mãe é imbatível na comida quando ela quer. Agora preciso salvar o mundo das cáries.
Minha pança está enorme.

segunda-feira, outubro 25, 2004

Assuntos para pessoas sem assunto, ou, manual prático do maldito chato:

* Fale sobre o tempo. Por exemplo, reclame que hoje choveu e você teve que voltar pra pegar seu guarda-chuva, e que felizmente percebeu que iria chover, mas que voltou pra casa com a infelicidade da barra da calça toda molhada no final da tarde e se lamente para o seu interlocutor amaldiçoando a chuva. Diga como está calor e como detesta ficar suando, além de todas as complicações possíveis que o calor traz, e coisas assim.
* Fale sobre o trânsito e as cagadas alheias nas ruas, enquanto está dirigindo e cometendo as suas, ou dentro do carro com alguém, dizendo das glórias de um modelo importado que o motorista ao seu lado jamais poderá comprar. Afinal, aquele Fulano alí deve ter comprado carta! Você viu como ele quase bateu no carro da frente? Onde estão os tratores desgorvernados nessas horas? Ô filho de uma égua! Que cor horrível desse carro aí na frente... mas aquele Fiat alí é bem bonitinho. E por aí vai, ad nauseam.
* Se te perguntarem como você está, comece a fazer uma longa descrição de sua saúde atual, de todas as doencinhas possíveis e as que você acha que tem porque é um hipocondríaco de merda. Descreva sua tosse seca e como ela te incomoda durante as noites, lamente-se bastante como se o seu interlocutor realmente fosse seu médico e desejasse saber. Não esqueça de citar as dores no pescoço que talvez sejam um tumor novo e as possíveis novidades da indústria farmacêutica.
* Fale sobre a programação de tevê como se ela realmente fosse interessante. Você viu o cara que ficou preso no elevador do prédio alí no centro da cidade? Ontem a Maria do Carmo deu o rádio na novela das oito. Acho que os peitões dela combinaram com este novo personagem. Fale especialmente das novelas mexicanas e dos programas de auditório podres. E como diz nosso rei, Silvio Santos, não se esqueça que pra ganhar é só rodarrrrr!
* Outra variante é falar falar e falar sobre si mesmo sem parar, sem citar mais ninguém além de si mesmo. Não retribua a pergunta "como vai?" porque você não está mesmo querendo demonstrar interesse no interlocutor, já que ele está lá apenas pra ouvir sua ladainha e como você é bem sucedido e importante e feliz. Quem precisa de amigos afinal?

*sigh*

Ontem apresentei meu speech na Puc e correu tudo bem, o que me deixou radiante de felicidade. Minha professora é um doce, e sei disso sem precisar ter lambido ela.
De tarde assisti A fantástica fábrica de chocolate do nosso glorioso-quase-deus, Willy Wonka, e também Albergue espanhol, com a Audrey Tautou. E hoje assisti Gothika, com a Hale Berry.
Ainda não consegui ver Garfield, mas tentarei remediar isso durante a semana.

Amanhã não posso faltar no sesc nem em decreto. Tô me sentindo a Prisoner Willy. Refém de minhas banhas e meus péssimos hábitos. Credo.

quinta-feira, outubro 21, 2004

TO DO:

* pagar modhost
* devolver dvd na locadora
* ...

Sinto que estou esquecendo alguma coisa.
Tá olhando o que?

quarta-feira, outubro 20, 2004


Hoje foi minha terceira aula no curso de técnicas de costura. Já fizemos o corte de uma saia, e costura francesa. Estou adorando... só espero conseguir desemperrar a caixa da bobina da minha máquina. =oP
Posted by Hello

terça-feira, outubro 19, 2004

Rama Lama Ding Dong.

Atualmente estou aceitando convites para almoços e jantares informais.
Daqueles que tem comida.

Trilha sonora mental de hoje: Edith Piaf - La vie en rose.

segunda-feira, outubro 18, 2004

Notícias que não gostaríamos de ter.

Perdemos um fotologger dos melhores.
Dia começando triste.
Muito chato isso.
=o/

Fabiana em nova embalagem.

Troquei a foto e as cores do template. Acho que ficou mais bonitinho. Hihihi! Eu gosto dessa foto aí. Tirei ela numa tarde ensolarada após uma consulta no meu psiquiatra.
Enjoei do amarelinho.

domingo, outubro 17, 2004

Ê lalaiá lalaiá!

Hoje passei a tarde inteira conversando com a mamã do JP. Falamos sobre assuntos diversos, do estilo de pintura a temas espirituais. Foi bem legal. E eu pensei sobre diversos assuntos e sobre os rumos que tomaram minha vida. Acho um saco não saber o que está por acontecer, essa coisa de surpresa do futuro. Dá medinho. Ui!

Ganhei uma bolsinha fofíssima da Essenziale. Morram de inveja. Depois boto a foto dela aqui.

Estou bastante empolgada com o curso de costura. Amanhã será minha segunda aula.
Sexta-feira passada fui na 25 de março comprar material de costura e acabei cedendo à tentação de comprar uns botõezinhos fofos de bichinhos e florzinhas. Sou bichona mesmo. Nem sei onde pregar os tais botões, mas sei que prega-los-ei em algum lugar um dia.
Hohoho!

Queria ter ido ver o show do Village People. Será que se eu convidá-los pra se apresentarem aqui em casa eles vêm? Buig.

sábado, outubro 16, 2004

Tô passada. Me fodi.

Caralho, fiquei até 1 hora da tarde esperando meu ônibus pra ir pro inglês. E o ônibus não passou. Como não adiantava mais ir pra aula depois dela ter terminado, voltei pra casa. Logo hoje que era minha apresentação. Que merda, era o dia do meu speech! Hoje encontrei o Francesco na rua, e conversamos um pouco. É incrível morarmos na mesma rua e termos ficado mais de 2 anos sem nos vermos. Fiquei feliz em revê-lo, pena que não deu pra conversar mais.
Estou indignada com a ausência de ônibus de hoje. Como vou me justificar pra professora? Ela vai achar que eu não fiz o raio do speech. Droga isso.

Estou com fome, pra variar. Não sei o que fazer e minha cabeça está quase doendo.

quarta-feira, outubro 13, 2004

Insensíveis de coração preto!

Não posso me conformar com vocês, que ficam aí lamentando a morte do Super Homem e nem se tocam que o Fernando Sabino morreu também. Humpf.
Mundo besta.

Tô com fogo no nariz. Apresento a vocês, Minerva, minha máquina de costura tcheca. Ela era de vovó. Deve ter uns mil anos de idade... não é simpática a menina? :õ)
Hoje foi minha primeira aula no curso de costura no senac. E eu adorei. Estou empolgadíssima. Só falta a minha Minerva funcionar e eu descobrir como ela funciona, já que é mais que rústica a bichinha. O engraçado é uma máquina tcheca com motor Arno e móvel Singer de outra máquina. Hahaha! Frankenstein total. Mas eu gostei. Enfim... vou voltar aos meus "afazeres".
Posted by Hello

Mil coisas pra fazer.... ai, ai, ai!

Estou com siricutico de digitar a essa hora... eu tenho que ir dormir.
Daqui a pouco tenho que acordar e ainda não estou dormindo. Será mau humor na certa, quando eu conseguir sair da cama. Eu odeio acordar cedo. Costumo ficar num mau humor danado, e eu nem percebo. Quando pessoas saem reclamando, chorando ou xingando aí eu percebo. Geralmente não respondo a gentis "bom dia" proferidos por pessoas matutinas. De manhã cedo ninguém deveria falar comigo. Ninguém deveria notar minha presença. A não ser quando realmente necessário. Essa história de dar bom dia não é comigo.
O dia é bom quando você está debaixo do edredon babando no travesseiro.

Babai se comoveu com o fato de eu estar lendo O código Da Vinci em pdf e resolveu me dar a versão impressa do livro. Chegou hoje. Estou adorando.
Mas como agora já são 2hs da madruga é melhor eu ir, como sono ou não.
E que o dia seja bem produtivo e feliz. Amém.

Tem uma sopa na minha mosca.

Quero que acabe logo essa minha fase quase eterna de desesperança. Já cansei de ser bocó e ficar melodramaticamente esperando o céu se abrir e me engolir. Parece até que fiz cocô na sopa de Deus. Pois preciso respirar fundo e seguir em frente. Claro que nada será fácil, porém não quero perder as minhas forças. Aliás, seria bom recuperá-las ou ganhar uma dose extra pra não desistir mais uma vez pelo caminho.
Vou indo e deixando migalhas pra voltar sem me perder. Mas isso é bem chato. Meus pensamentos são inconvenientes às vezes. Meu lado racional beira o desespero. E o lado sonhador beira o abismo. Sou xarope demais.

domingo, outubro 10, 2004


Hoje comi pra chuchu na casa do fofucho. Logo que cheguei em casa corri pro banheiro pra dar uma aliviada. Agora me sinto melhor. Adoro usar a câmera da sogrinha e tirar fotos por lá. Hihihi! Hoje matei a vontade. Pena que o fofinho precisa trabalhar logo amanhã... humpf. Queria passar outro dia com ele e ver os filmes que aluguei e não vimos até então.
Ontem mamã esteve aqui e encontrei duas porquinhas sentadas no meu monitor. São muito bonitinhas. Preciso pensar em um nome pra elas. As duas estão no maior papo furado aqui na minha frente. Hehehe!
Posted by Hello

Jesus negão. Sangue bão.

Hoje estou de chorar. Se eu continuar peidando desse jeito alguém vai vomitar logo logo... Estou meio aflita essa semana. Preocupada com as coisas que estão por vir, as coisas que não foram feitas e as que terão de ser feitas e talvez o resultado disso tudo, com uma certa felicidade, ansiedade e apatia, tudo ao mesmo tempo, se é que isso é possível em mais alguém.
JP está praticando suas lições de guitarra enquanto eu tento vencer a ausência de conteúdo de minha mente. Queria ter aquela facilidade Inagakiana de escrever.

Falando nisso, agora tem mais uma comunidade do tipo Orkut, só que nacional, pra entrar pra coleção de vícios passageiros da internet. É o Link, do Estadão. Obviamente já estou lá enchendo o saco.

Agora vou embora pra casa.

sábado, outubro 09, 2004

Fabiana é uma mula preta. De sete palmos de altura.

Só Fabianas são capazes de devolver caixinhas de DVD vazias na blockbuster. Só Fabianas mesmo. Pra passar vergonha na frente do namorado. Mil chibatadas na bunda, por favor. Com sal e limão.

O jipe do padre fez um furo no pneu.

Tirei 7.5 na prova do inglês. Não é um resultado muito glorioso, mas tá bom pra quem não estudou... Fui hoje pra aula morrendo de sono. O que me preocupa é que na semana que vem tenho meu speech pra apresentar. Ainda não fiz nada e nem sei que recursos audiovisuais tem pra usar lá na Puc, se é que tem algo e se é que vão emprestar caso tenha. Mas vou tentar fazer algo interessante durante essa semana.
Depois da aula vim direto aqui pra casa do fofucho, almoçar com ele.
O foda é que não passei em casa antes, portanto não peguei os dvds que aluguei na locadora. E tem alguns que são pra devolver hoje mesmo. Cocô.

Vou tentar vencer o sono e terminar de ler Othello.

quinta-feira, outubro 07, 2004

Kit Kat.

Uma felicidade súbita me invadiu a alma e parecem que borboletas brincam e dão cambalhotas dentro de mim e eu sinto vontade de gritar.
Sinto-me leve, e não é só porque eu já fiz cocô e tomei banho hoje.
Talvez porque eu seja boboca e tenha esperanças ingênuas e românticas, embora eu sempre negue esse meu lado sórdido em frente a possíveis testemunhas. Não quero me comprometer com as coisas bonitas, sabe como é? Minha vida é ogra e eu gosto do meu pântano imaculado.

É melhor eu parar de criar expectativas e não comer mais açúcar hoje.

quarta-feira, outubro 06, 2004

Os eternos dramas fabiânicos.

Meu pai é um velho totalmente sem noção.
Quando não tem o que fazer (ou seja, o tempo todo), tira o dia pra infernizar.
Acabou de sapatear na cozinha jogando panelas e se fazendo de vítima.
ODEIO.

Ele não consegue se comportar como uma pessoa normal, nem que eu tenha que implorar ajoelhada no milho. Meu karma com certeza é dos brabos pra aturar isso nessa encarnação. Espero sobreviver.

100 escarradas antes de vestir o pijama.

Hoje eu baixei e li o polêmico 100 escovadas antes de ir para a cama, da adolescente italiana Melissa Panarello. Não achei tão ruim como dizem, mas também não é algo extremamente fantástico. Satisfaz a curiosidade daquilo que se propõe, que é o suposto diário da vida sexual e das descobertas e toda a perversão tabu comum na adolescência. Nada que muitas garotas não tenham experimentado nessa fase da vida, mas que só seus respectivos travesseiros souberam. A grande questã é que a dita cuja revela toda a sordidez de sua vida sexual, que vai além do que bons cristãos ousam sonhar, o que não quer dizer que seja algo tão fantárdigo. O que dizer das adolescentes brasileiras que vemos por aí grávidas aos 13 anos e coisa e tal? Acho isso muito mais bizarro do que a Melissa confessando que fez sexo com 5 caras em seu aniversário de 16 anos.

E você, amigo punheteiro que chegou pelo Google, vá embora que não tem nada aqui pra você.

I hate excuses. But I'm always making some....

Estou sem paciência pra certas coisas ultimamente. Não sei se estou chata demais, crítica demais ou apenas de saco cheio de lenga-lenga desnecessária.
De qualquer forma, uma coisa é certa: odeio depender de favores alheios pra executar alguma coisa. Estou há dias pedindo pro meu pai trazer minha máquina de costura e nada dele mexer um dedo pra fazer isso. O problema é que ele se comprometeu a fazê-lo, e vai me prejudicar se não fizer isso realmente, e logo. Tenho que chamar o técnico da Singer pra dar uma geral na dita cuja além do mais. Semana que vem começo um curso de técnicas de costura e acabamento no senac. Pode até não ser algo interessante a longo prazo, mas conhecimento nunca é demais. Acho que dará pra fazer algumas coisas bacanas.

Comprei minha agenda 2005 da Taschen, com a capa de Pinup do Gil Elvgren. É linda linda linda! Pena que custou tão caro, mas eu realmente não resisti e comprei ontem na livraria cultura. Babai obviamente vai protestar quando chegar a fatura do cartão. Ainda mais que comprei um livro da Simone de Beauvoir da Penguin Books.
Estou namorando uma cristaleira da Tok Stok que é perfeita pra guardar meus livros. Com porta de vidro, pra não deixar entrar muita poeira. Isso significa uma coisa: preciso ganhar algum dinheiro, ou não vou deixar de ficar sonhando com tais itens.
Ando pensando insistentemente em decoração. Pisos de madeira, técnicas de pintura de parede, cores, móveis, luminárias... Não agüento isso. Tenho que arrumar um modo de parar de pensar nisso, porque ao mesmo tempo que é algo agradável, é torturante pela impossibilidade de concretizar tais idéias. E justamente essa coisa de ter mil idéias e nenhuma possibilidade de torná-las realidade que me frustra desde que o mundo é mundo. É realmente muito chato ser criativa sem poder de transformação e execução. Broxa, sabe? Sinto meu cérebro se transformando em uva-passa.

Pelo visto terei de ser eu mesma a responsável pelas pedreiragens necessárias. O problema é que eu nunca troquei um encanamento antes. Hahahaha! Tá bem, é claro que foi um delírio!

Ando tão desleixada que estou sem vontade até mesmo de ir na manicure, mesmo já estando pago. Terá isso alguma explicação?

segunda-feira, outubro 04, 2004

Money changes everything.

Ando precisando de estímulos e energia concentrada na veia pra ver se saio desse estado atual de apatia e preguiça extremas.
Ontem foi dia de eleições e fui escrava mesária novamente. Saí da cama num puta mau humor, vesti uma calça de moletom mais que furada, cabelo sem pentear, vesti uma camiseta e uma blusa por cima e tênis, e fui de qualquer jeito pro Mackenzie, sem tomar banho. Mas fiquei feliz por rever várias amigas queridas. A Renata veio em casa com o namorado dela depois do encerramento das eleições, e ficamos nós quatro (o que inclui o fofucho) conversando e debatendo sobre objetos enfiados no nariz. Haha! Foi legal.
Hoje chegou a Bravo desse mês, e nada de chegar a revista de fotografia da editora Europa que pedi mês passado.
A faxineira está no meu quarto fazendo limpeza. E eu não sei onde enfiar minhas coisas, não consigo organizar minhas coisas e minha vida. Não sei por onde começo e tudo parece desanimador, principalmente as minhas pernas peludas.
E hoje monstruei horrores.
Acho que vou voltar pro meu edredon. Só tenho vontade disso.

quarta-feira, setembro 29, 2004

Meu gato pôs um ovo.

Não sei o que fazer da minha vida, embora pense nisso todos os dias.
As coisas ficam demasiadamente e desnecessariamente complicadas quando não se tem algum dinheiro.
Estou com a merda do "meu gato pôs um ovo" na cabeça, com a voz do JP.
Eu mereço...

Cheguei ao fundo do poço. A gente constata isso quando se pega falando sobre o tempo com o namorado no msn entre os espasmos de silêncio. Acho que vai chover.

terça-feira, setembro 28, 2004

2 x 20 para meus glúteos da sorte.

Sinto saudades da minha verborragia de antigamente, se bem que já devo ter dito isso umas quinhentas vezes aqui neste blog. Saudades de fazer aqueles posts enormes que ninguém lê, cheios de trocadilhos sonsos e ironias insanas.
Mas agora tudo que me resta é tomar banho. Estou salgada. Suei em bicas. Em bicas com b de bunda, embora não tenha nada contra picas e bifas ou bocas. Ah, deixa eu ficar quieta que é melhor.
Banho, lá me vou.
...
Estou ficando com fome. Isso non bom. Malhei com tanto esforço hoje! Poxa.

segunda-feira, setembro 27, 2004

Chamem a ambulância! Comi demais...

Hoje fiz macarrão com champignon e shiitake. Tava tão bom que não me contive.
Preciso exorcizar essa comida em minha pança.

domingo, setembro 26, 2004

Patrocínio: BIC® Comfort Twin Shaver e tesoura Tramontina escolar.


Sexta-feira cortei meu cabelo. Sim, eu mesma cortei. Ficou assim como podem ver na foto, bem curtinho. Eu gostei.

Sábado tive prova do inglês. Estou curiosa pra saber minha nota. Chuinf.
Posted by Hello

quinta-feira, setembro 23, 2004

Coração de frango.

Parece que não fazem mais o Doritos original.
Magoei.

Ray Charles's Birthday

terça-feira, setembro 21, 2004

Cabritando.

Hoje estou num dia de compulsões. Tenho que parar de comer. Mas é tão bom comer...

Hoje é aniversário do Rogério. Parabéns, fióte!

A melhor coisa que inventaram esse ano foi aquele sorvete Ades da Kibon. Une o gostoso com o agradável. E eu não posso faltar no condicionamento hoje nem em decreto, que já não fui ontem.

Tenho muita coisa pra fazer e nem sei por onde começar. Meu fofucho está resfriado, espero que hoje ele já esteja melhor.
Meu pai está assistindo algum filme bobo na tv e não para de rir histericamente. Minha vida é uma coisa esquisita mesmo.
Posted by Hello

segunda-feira, setembro 20, 2004


Preciso achar e comprar uma corda igual a que eu estourei da guitarra do JP, pra repô-lo. Só eu mesmo pra ter essa capacidade... Ninguém consegue estourar uma corda nova enquanto afina o instrumento; só a Fabiana...
Droga, tenho que ir pro cursinho. =oP
Posted by Hello

domingo, setembro 19, 2004

It's hard to surf with dial up connection.

Estou no momento no quarto do JP, tentando digitar silenciosamente pra não acordá-lo, mas está difícil. Deveriam fazer teclados mais silenciosos.
Nas últimas 24 horas assisti Anjos da noite - Underworld e Bilhete premiado, que conta com a atuação do Michael Moore, provavelmente antes dele ficar famoso, tanto que nem tem o nome dele na caixinha. Não esperava vê-lo num filme, ainda mais um filme com o John Travolta e a Lisa Kudrow (a Phoebe de Friends). Na verdade eu nem sabia que ele já atuou como ator, além dos documentários dele.

Ontem fui na Teodoro Sampaio com o JP pra tentar achar um trequinho pra guitarra dele (e não achamos), e depois fomos comer o beirute do Toninho e Freitas.
Amanhã não sairei do condicionamento físico.

sexta-feira, setembro 17, 2004

I can see clearly now, the rain is gone...

Estou morrendo de sono. Ontem fiquei até 3:20 da madrugada conversando com a Flávia na casa da Bi. E hoje de manhã fomos entregar currículos num lugar que vimos no jornal. Espero que nos chamem pra trabalhar. Não que eu realmente goste de trabalhar, mas fazer o quê? Tenho que me depilar!

A moça vesga que trabalha lá na Bi tá grávida outra vez. Não sei se rio ou se choro.
E ela tem só 20 anos. A filhinha dela tem só um ano! Cagalho...
Fiquei meio passada, chateada e com pena das crianças. E dela, que deu sem camisinha.

Ontem fiz a zunha com a Irene que ri e brinquei com Jackie O.
E hoje usei sapato de salto com meias finas desfiadas e escorridas.
Preciso fazer xixi.

quinta-feira, setembro 16, 2004

Tá dando pau outra vez.

I wanna be sedated.

Estou pensando seriamente em cortar meu cabelo.
Hoje fiquei quase o dia todo sem linha telefônica, porque vieram uns caras trocar o cabeamento do prédio e eu fiquei pê da vida, porque precisava muito usar o telefone e a internet. Perdi um tempão com isso. Agora não sei se o cara da Farmácia em casa ligou pra confirmar a manipulação do meu remédio ou não.
O pior é que meu pai ia sair e acabou se atrasando e desistindo de sair com tudo isso.
Isso significa chatice para Fabiana aturar.

Minha vida anda esquisita, mas curiosamente tenho pensando em dar forma a certos planinhos diabólicos. Meu problema é essa coisa de ter milhões de idéias e nunca torná-las realidade. Mas cansei disso e quero mesmo fazer algo interessante.

Por enquanto vou fazer cocô.

terça-feira, setembro 14, 2004

À la Folie... Pas du Tout

Ontem de noite assisti Bem me quer... mal me quer, com a Audrey Tautou. Virei fã dela depois de Fabuloso destino de Amélie Poulain. Semana passada assisti Dirty Pretty Things, em que também ela é atriz principal.
No primeiro, dois pontos de vista de um romance, onde a Audrey é a Angélique, uma daquelas garotas que sofre por amor, só pensa no ser amado e arma diversos barracos por causa do fulano. O tipo de pessoa que acha que vai morrer sem a existência do fulano amado. E o ponto de vista do fulano, que é totalmente diferente e converge num final único e inesperado. Lexotan puro.
No Dirty Pretty Things ela faz o papel de uma turca na Inglaterra, que gosta dum cara que veio da África e está lá ilegalmente. Ela trabalha num hotel como camareira junto com o cara da África que é um médico refugiado, trabalhando como recepcionista no tal hotel e taxista. E eles se gostam. Dramático e insólito também. Gostei muito de ambos.


-----------------------------------------**************************----------------------------
Hoje minha mãe resolveu fazer uma aparição em casa de madrugada, antes das 8 da manhã; veio me acordar pra me contar que foi à Aparecida no domingo e lembrou-se de mim. Pelo menos dessa vez ela não trouxe nada medonho. Que alívio. Ela me deu uma xícara escrito "para uma super filha". HAHAHA! Só rindo mesmo. Só se for super nem aí pros meus pais. E um chaveiro de joaninha em que as asas abrem e aparece dentro uma carinha horrorosa de uma Minie ou algo parecido. Mas enquanto fechado dá pra usar.
Minha vida daria uma daquelas novelas mexicanas ou seriados absurdos. É muita bizarrice junta numa existência só.

Ainda bem que tenho meu Shrek pra me consolar.

segunda-feira, setembro 13, 2004

The sea is watching.


The sea is watching, do Akira Kurosawa, é um dos filmes mais lindos que assisti até hoje. Maravilhoso e sensível.

Adutores e abdutores.

Que saco. Meu pai tirou hoje o dia pra infernizar e está conseguindo me enlouquecer. Depois que ele se aposentou ele passa o dia todo dentro de casa e fica pra lá e pra cá arrastando o chinelo, quando não está dormindo no sofá. E como ele não tem uma vida própria pra cuidar, ele tenta se intrometer na minha, o que me emputece muito.

De tarde fui pro sesc e fiz a primeira aula com a série dos membros inferiores e abdominais e tal. Fiz 15 minutos de transport, 12 de esteira, 5 de step e 30 de bicicleta. Tô empolgada com a idéia de caber nas calças. Eu e a Julia vamos sair desfilando de biquini no verão. Preparem seus corações!

O que essa música do Fábio Junior está fazendo na minha cabeça agora? o_O'
(Esqueça se ele não te ama...)

Pérolas do dia proferidas por Samuel, o esquizofrênico.

"Você comete todos os pecados capitais. (...) É gula, inveja..."
"Você vai pro inferno." (Já é um inferno ter que conviver com ele.)
"Não pegue mais filmes na locadora que não tenho dinheiro pra pagar."
"Você não comeu as abobrinhas! Vai ficar fraca, esquálida. Coma esse negócio senão você vai ficar magríssima, magérrima." (Meu estado atual é de obesidade, pra quem não sabe.)
"Hummm... esse melão é perfumado, você sentiu?"
"Vai levar porrada, hein?" (Entre os outros gritinhos histéricos e palavras sem sentido que ele fica repetindo o dia todo pra si mesmo.) "Porrada nela!" (com voz de taquara rachada. Esse é um dos mantras dele.)

Não sei como não corto os pulsos tendo que conviver com um idiota.
Entre outras, ele sempre frita hamburgueres quando minhas roupas estão no varal ao lado, porque não basta a casa inteira ficar fedendo, minhas roupas também tem que feder. E depois ele fecha todas as janelas de casa, mesmo estando um puta calor.

Caralho, tem merda maior que ter um pai demente, que não assume (ou finge que não sabe) que é demente e não procura tratamento? Impossível agüentar isso sem descer do salto.

AI, MEUS PACOVÁS DE OURO!

sábado, setembro 11, 2004

Tédio.

Namoradas indignadas, uni-vos!

Logo hoje que estou com vontade de dar o JP tá no raio do show do Linkin Park. Que saco isso. Fiquei chateada por ele não ter me convidado pra ir com ele. Foi com os amigos malas dele. Tomara que ele volte com o cu em chamas. Humpf.

sexta-feira, setembro 10, 2004


Hoje fui fazer meu exame médico no SESC e fiquei de tarde lá fazendo minha primeira série de musculação, esteira, cross training e bicicleta. E finalmente irei caber nas calças. Gostei dos aparelhos de lá.
Na volta encontrei Tiarnica com o Dog e a Jackie O no colo, com a Léia e seus respectivos dogs. Isso me lembra que daqui a pouco tenho que ir pro cursinho. E ainda preciso tomar banho que estou um nojinho. JP chegou ontem de viagem, mas ele parece estar ocupado demais hoje pra falar comigo. Ontem chegou minha revista Speak Up desse mês e meu e-mail está lá na última página. Entretanto, ainda não recebi nenhum e-mail. Preciso tirar esse esmalte horrível.
Posted by Hello

quinta-feira, setembro 09, 2004

Hi.

Tô bege.

quarta-feira, setembro 08, 2004

Saudades da neve em que nunca rolei.

Hoje fui no banco pagar uma conta da mamã e depositar um cheque pro babai. Depois fui no SESC e me matriculei no condicionamento físico. Finalmente chegou a minha hora. A hora de caber nas calças. Por isso eu digo: aleluia, irbãos!
Depois voltei pra casa, tive minhas horas de preguiça extrema até que babai me obrigou a ir pro cursinho, e eu fui, com a calcinha me comendo no meio da rua sem que eu pudesse arrancá-la da bunda discretamente com toda aquela gente ao redor.
Na lâmpada do poste, uma cúpula de insetos rodopiava como fãs enlouquecidas ao redor de seu ídolo do rock. São motivos pra odiar o calor. Além de suar como um porco sem a menor necessidade.
Tô a fim de cortar um melão que comprei no supermercado esses dias, mas não sei se ele está maduro ou não. Por via das dúvidas, não vou torturar minhas lombrigas.

Tá dando pau.

Que será?

terça-feira, setembro 07, 2004

segunda-feira, setembro 06, 2004

Papagaia de pirata.

Hoje vi as fotos da festa da Speak Up no site do English Club, mas as fotos em que eu apareço não abrem! BUIG. Só aparece uma em que eu estou ao fundo da foto de outros seres. Virei papagaia de pirata, sobre o ombro alheio. Blé! Tomara que arrumem logo as páginas cagadas.
Estou novamente na casa do fofucho.
Babai estava de TPM agora de noite em casa, enquanto praguejava sobre a faxineira e o mau funcionamento da máquina de lavar, e sua eterna condição de criatura injustiçada que supõe ser. Sempre cansado de tudo e sempre a vítima favorita de todos. Pois saí e deixei ele se queixando e gritando sozinho.

Hoje comi além da quota permitida pelo Ministério da Saúde e Bom Senso. Pior que nem rola um exercício básico estando aqui. Lady Neide que me salve pelos próximos dias.
JP está nanando. Hihihi! Que bonitinho! Ele ronca.

Falando em roncar, ontem acordei tendo um ataque de riso porque sonhei com o fofucho com a cara cheia de arroz e farofa, porque tinha provavelmente dormido com a cara no prato em meu sonho insano. Até agora estou rindo desta cena.

Tenho que tomar um banho básico, escovar meus dentes e talvez dar uma cagadinha pra aliviar a pressão da pança com toda essa comida. Shame on me.

domingo, setembro 05, 2004

Fabiana e o feng shui.

Hoje (quer dizer ontem, sábado) fiz strogonoff e um arroz semi-queimado pro fofucho. E agora de noite vim pra casa dele, fiquei lendo a Casa Claudia e pensando em ambientes harmoniosos, pisos de madeira e pastilhas de vidro no banheiro e coisas do gênero. Porque ser Fabiana requer certas bichices imprescindíveis.


sábado, setembro 04, 2004

Sonhos de macaca.

Esses dias sonhei com o Sidney Magal. Ele era meu vizinho e nos atracamos no corredor. Só que ele não quis me comer porque eu não tinha feito depilação.
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!

quinta-feira, setembro 02, 2004

English Club.

Terça-feira fui de tarde pra aula de culinária mexicana e aprendi a fazer aquelas comidinhas altamente calóricas com uma cara muito boa.
Depois passei em casa, tomei meu banho e fui pro O'Malley's, pra festa da revista Speak Up e do English Club Brazil. Participei pela primeira vez, e fui como networker, tentando ajudar no possível pro entrosamento das pessoas mais tímidas e nas atividades que ocorreram, como distribuir papéis e coisa e tal.
Foi bem legal, embora eu não pudesse tomar aquelas cervejas mil que eles têm lá, porque estou tomando remédio não compatível com álcool.
Conheci bastante gente, incluindo o Jason Bermingham, autor da coluna Interamericas nas últimas 8 edições da Speak Up, onde ele escreveu sobre as viagens dele dos EUA ao Brasil. Inclusive teve um quiz com perguntas sobre a última matéria dele na revista, e foi bem engraçado. Conheci também o fantástico Big Bad Bill, que foi quem criou o English Club Brazil. Embora o inglês dele nem sempre eu consiga entender de primeira. E teve "parabéns pra você" durante a festa, pois domingo passado foi aniversário dele. Morri de vergonha com meu inglês tosquinho, com meus esquecimentos momentâneos de palavras básicas e toda aquela merda que acontece quando temos que falar direito com as pessoas. Mas de resto, foi jóia.
Realmente o pub bash é tudo aquilo que diziam. Como foi a festa com os leitores da Speak Up, o segundo andar do O'Malley's simplesmente LOTOU. Sortearam 6 meses de assinatura da revista pra um felizardo, teve quiz, teve um tipo de um karaoke, onde as pessoas (incluindo eu) cantavam freneticamente acompanhando as letras no telão, teve várias atividades pra misturar as pessoas e obrigá-las a conhecerem as pessoas das outras mesas, o que achei legal, mesmo estando tão cheio de gente e tão barulhento, e um jogo onde vc devia descobrir a palavra que estava faltando na capa das revistas da Speak Up que estavam grudadas nas paredes em lugares distintos. O grupo que acertou o maior número de palavras ocultas das capas foi o ganhador. De prêmio ganharam revistas Speak Up.
Como não poderia deixar de fazer, paguei meu mico-leão-prateado da noite. Na hora que tocou Dancing Queen (ABBA) e Sweet Dreams (Eurythmics), fui cantar no microfone. HAHAHA! O Nick, um dos networkers, tirou fotos, mas ele ainda não colocou no site. Tô até com medo de ver minha cara bizarra aparecendo lá. Aff...
Lá pras 23:30 acabou o bash e fiquei conversando até meia noite, depois fui embora.
Como não tive paciência pra esperar ônibus na Paulista, fui pra casa a pé. Cheguei num cheiro nojento de cigarro impregnado até o último poro, fio de cabelo e fibra de roupa. Tomei banho e lavei o cabelo, e mesmo assim, ainda me senti fedendo cigarro.
Odeio isso. E meu pé doía horrores. Doeu tanto que ontem acordei 6:30 da manhã com insônia e o pé ainda doendo. Mas passou.

E ontem não fiz nada de muito glorioso...
Nem hoje por enquanto.
Preciso emagrecer com urgência. Ando pedalando na Lady Neide, mas é muito chato. =oP
Acho que daqui a pouco vão cortar a linha telefônica do prédio pra trocarem os fios. Espero que terminem logo. Hoje está calor, isso me deixa com sono.

terça-feira, agosto 31, 2004


Hoje fui na Casa Gourmet e tive aulas de culinária mexicana. Aprendi a fazer tortillas, burritos, tacos, guacamole, chilli e uma sobremesa que parece ótima mas é altamente calórica. Quero ficar rica e ter uma cozinha funcional e bonitona cheia de panelinhas da t-fal pra brincar de fazer comidinhas. Só achei chato não ter provado as comidas feitas pela chef, que foram sorteadas no final da aula. Blé! =oP As mexicanas devem fazer muita ginástica pra caber nas calças comendo tudo aquilo.
Posted by Hello

domingo, agosto 29, 2004

Sono, revolta e indignação.



Hoje tive que acordar cedo pra ir fazer a prova do Enem, na faculdade São Camilo, campus da Pompéia, perto do Sesc. Durante a tarde teve o encerramento dos jogos olímpicos, e enquanto isso eu estava numa sala fechada, com mais um monte de Fabianas, com calor, sono e tédio, fazendo a prova do Enem. As 63 questões parecem intermináveis quando você cansa de pintar as bolinhas do gabarito.
Na saída, fiquei simplesmente uma hora e meia esperando meu ônibus pra voltar pra casa. E segurando as lágrimas, de tanta raiva. Depois de uma hora de espera apareceu uma menina maleta que simplesmente se enfiou no meio da conversa das outras pessoas e ficava "ensinando" todo mundo a "fazer" brigadeiro, saiba você fazê-los ou não. E se você não deixasse ela falar, ela brigava. De longe, a mãe em desespero, sem conseguir controlar a filha mal educada. A menina fazia caretas e ficava vesga, e a mãe berrava: "para de entortar o zói, menina" enquanto eu implorava aos céus pro meu ônibus aparecer. Em frente ao ponto tinha um buffet intantil com um tubarão enorme pendurado na fachada. Adorei aquilo. E todos os peixinhos pintados no muro, muito bem feitos. E a lua cheia brotou detrás daquela "chaminé" do Sesc e sumiu depois de alta atrás de um prédio próximo. Isso foi bonito.

JP ficou me esperando eras até que eu cheguei finalmente em casa.
E isso tornou meu dia suportável.
Agora penso seriamente em ir dormir, pois estou cansada. Minha bunda doía horrores de tanto ficar sentada naquela sala de aula. E o pior de tudo é que só acertei 75% da prova. E errei umas questões muito estúpidas, de pura desatenção e vontade de ir embora logo.

E depois ainda teve aquele negócio do Wanderlei, o maratonista, que foi agarrado no meio da corrida por um fugitivo-de-hospício-que-deveria-ser-espancado-até-a-morte, logo quando ele estava prestes a ganhar medalha de ouro, com vantagem e tudo. Chegou em 3º, tadinho. Foi sacanagem aquilo. Indignação é pouca com o que houve. Surreal e bizarro também é pouco pra descrever essa cena. E olha que eu nem cheguei a assistir de fato.

Enfim, melhor eu garantir meu sono de beleza. Huhuhu!

sábado, agosto 28, 2004

sexta-feira, agosto 27, 2004

Sex and the city.

"I have low self-esteem, but I express it the healthy way... by eating a box of Double-Stuf Oreos." -Miranda

Como não pensei nisso antes?

Abobrinhas são do bem.

Definitivamente. Essa receita é porreta! A melhor abobrinha saboreada em minha vida moderna. Recomendo. Até eu consegui fazer! Progresso! :-D

Tragam Odete Roitman!

Meu pai tá muito folgado. Hoje foi me perturbar no meu sono de beleza pra que eu fizesse comida pra ele. E desde quando sou empregada dele? Ele está completamente fora da realidade. Surtou de vez. Logo estará comendo mosquitos, que nem o maluco do livro que estou lendo (Dracula).

Minha perna dói. Preciso emagrecer. E tenho lição de casa do inglês pra fazer. Quero ser abduzida sem sondas anais e ser levada para Urano.

quinta-feira, agosto 26, 2004

I wish you a Merry Christmas...

... and Happy New Year!
Pois é. Estou com essa musiquinha natalina na cabeça.
A trilha sonora de minha vida é algo inusitado, pra dizer o mínimo.

=^.^=


Ontem a sister veio aqui em casa e eu fiquei bem feliz em vê-la. Depois fui no meu psiquiatra e no caminho encontrei esse gatinho dormindo no portão de um prédio alí nos Jardins. Não resisti em tirar uma foto. Ele (ou ela) nem se incomodou.
Conversei com meu médico e ele trocou minha medicação. E confirmou que é bem provável eu ser DDA, já que tenho mesmo grande parte dos sintomas. É ao mesmo tempo triste e um grande alívio.
Na volta, passei novamente pelo gatinho, que continuava dormindo no mesmo lugar. Eu pareço um gato de vez em quando, especialmente quando durmo muito (acho que é de vez em sempre mesmo). Mas não é uma gracinha? Hihihi!
De noite fui pro cursinho e já deram a apostila 5. Céus! E ontem quando estava no ônibus indo pro Etapa um cara se levantou pra me dar o lugar. Fiquei tão sem graça! Ele insistiu pra que eu sentasse no lugar que ele me cedeu e fiquei pensando: será que estou tão pançuda que ele achou que eu estou grávida? Que acontece? Eu disse que não precisava, mas além de gentil o cara era bonitão e insistiu. Sentei, sem graça, e segurei a pasta e a jaqueta de couro dele. Descemos no mesmo ponto e provavelmente nunca mais nos veremos. Antes que JP fique enciumado caso leia isso, saiba que não foi um flerte, ok? Geralmente eu quem dou meu lugar pras pessoas no ônibus e não o contrário, o que me deixou de certo modo assustada. How bizarre!
Posted by Hello

You can be bored with the Google's logos that I'm posting here...

... but I don't care!
Lalalala!

terça-feira, agosto 24, 2004

Google e os esportes olímpicos.



Perdi o logo de ontem, alguém tem?

Ontem não conectei, estive fora praticamente o dia todo. Fui na Puc pra acertar a diferença do meu curso de inglês e as coisas da transferência e fiquei lá horas pra ser atendida. Na verdade o cara que me atendeu estava perdido com o procedimento e demorou pra concluir e eu fiquei lá esperando enquanto lia Dracula.
Depois fui direto pro cursinho, sem material mesmo, porque já estava atrasada.
Antes passei na biblioteca da Puc pra deixar a fita de vídeo que fiquei devendo.
Peguei Sex and the city, episódios 1 a 4 e assisti antes de dormir.
Quando cheguei do cursinho assisti O laboratório de Dexter e fui correndo devolver na Blockbuster.
Ontem assisti de manhã Big fish, que é realmente uma graça! Queria vê-lo quando estava em cartaz, mas só pude ver agora, e realmente é o que dizem, mas eu esperava ter que usar uma caixa toda de Kleenex e não foi necessário. Mesmo assim gostei de tudo, é muito sensível e adorável a história.
Pena que o fofucho não assistiu, já que foi ele quem pagou a locação.

Ontem fiquei preocupada com ele, que resolveu ficar gripado, com febre e tudo. Queria cuidar dele, mas nem isso dá.

Preciso depilar a perna e ganhar algum dinheiro.
Quero que chegue sexta-feira logo.
Tenho que dar uma saída.
Volto logo.

segunda-feira, agosto 23, 2004

Adoro os logos do Google!

Where is my creativity?

Parece que há um grande vazio novamente em minha mente.
Não tenho nada de interessante a declarar.
Nestes últimos dias ando mais visual que verbal.
Talvez seja a falta de prática.

domingo, agosto 22, 2004

Don't hate me, because I'm pink!



Passei o dia com JP hoje. Foi legal.
Assistimos Escola de Rock.

sexta-feira, agosto 20, 2004

Sloth quer chocolate!

Chocolate deveria ser considerado droga também, já que causa dependência.
Hummm... melhor não.
Dei uma babada fenomenal na minha perna.
Quem não tem chocolate come biscoitos Marilan (que nome ingrato!) de maisena.
Preciso de coragem parar pedalar. Se bem que agora tenho que me arrumar pra ir pra aula. E amanhã tem inglês. Fico sempre ansiosa por isso.
Acabou a coca-cola. Vou tomar banho então.
--------------------------------------------------------------------------------------

View from my kitchen window.
Posted by Hello


--------------------------------------------------------------------------------------
Athens 2004

quinta-feira, agosto 19, 2004

Patati. Patatá.


Fotolog atualizado. Hoje chegou meu cd do Glenn Miller que eu ganhei pelo Dotz, trocando a pontuação que eu acumulei com a assinatura do Terra. Também assinar provedor por causa do ADSL só serve mesmo pra isso, ganhar Dotz e depois de um ano trocar por um cd ou algo do tipo. E olhe lá. Eu e essa minha mania de "programas de fidelidade". O Smart Club vai parar de funcionar esse ano. Em breve terei que trocar minha pontuação acumulada por tantos anos por algum apetrecho nas Lojas Americanas. Tudo pontos de compras na Drogasil. Será que mais alguém faz isso? Eu, hein? Posted by Hello